Itamaraty censura livro prefaciado por desafeto de Ernesto Araújo

O Ministéro das Relações Exteriores, sob a direção de um diplomata obscuro de extrema-direita, vetou a publicação de obra de conteúdo histórico, com texto de Rubens Ricupero

(Foto: Marcos Corrêa/PR)

247 - Segundo reportagem da jornalista Patrícia Campos Mello, na Folha de S.Paulo, trata-se de uma obra de um dos maiores historiadores da diplomacia brasileira. 

A censura, absurda em si mesma, ocorreu por um motivo torpe: o prefácio foi escrito por um desafeto do chanceler Ernesto Araújo. 

O embaixador Synesio Sampaio Goes Filho, que escreveu uma biografia de Alexandre de Gusmão, considerado o "avô da diplomacia brasileira" foi informado de que o livro só seria publicado se ele retirasse o prefácio escrito por Rubens Ricupero, ex-embaixador em Washington e também historiador da diplomacia.   

O livro foi encomendado pela Funag (Fundação Alexandre de Gusmão), braço cultural e pedagógico do ministério.   

Ricupero é um crítico de Ernesto Araújo e dos rumos da política externa do governo Bolsonaro.  

Para Goes Filho, trata-se de censura. “Isso é censura, obscurantismo; desse jeito nenhum embaixador de prestígio vai poder publicar”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247