Janine: Rosa Weber deveria ter declarado suspeição

Professor de Ética da Universidade de São Paulo (USP) e ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro afirma que a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, não tinha isenção para julgar o caso sobre o ex-presidente Lula; o motivo: ela já trabalhou com o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato; o ex-ministro lembra que Rosa Weber teve o juiz "trabalhando todo um tempo em seu gabinete"; Janine também apontou a suspeição do ministro Gilmar Mendes; "Melhor teria feito Gilmar não examinando um recurso impetrado por auxiliar sua"; "Quando você não decide assunto em que próximos seus estão interessados, sua decisão soa mais justa", defende o professor

Professor de Ética da Universidade de São Paulo (USP) e ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro afirma que a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, não tinha isenção para julgar o caso sobre o ex-presidente Lula; o motivo: ela já trabalhou com o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato; o ex-ministro lembra que Rosa Weber teve o juiz "trabalhando todo um tempo em seu gabinete"; Janine também apontou a suspeição do ministro Gilmar Mendes; "Melhor teria feito Gilmar não examinando um recurso impetrado por auxiliar sua"; "Quando você não decide assunto em que próximos seus estão interessados, sua decisão soa mais justa", defende o professor
Professor de Ética da Universidade de São Paulo (USP) e ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro afirma que a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, não tinha isenção para julgar o caso sobre o ex-presidente Lula; o motivo: ela já trabalhou com o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato; o ex-ministro lembra que Rosa Weber teve o juiz "trabalhando todo um tempo em seu gabinete"; Janine também apontou a suspeição do ministro Gilmar Mendes; "Melhor teria feito Gilmar não examinando um recurso impetrado por auxiliar sua"; "Quando você não decide assunto em que próximos seus estão interessados, sua decisão soa mais justa", defende o professor (Foto: Gisele Federicce)

247 – O professor de Ética da Universidade de São Paulo (USP) e ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro afirmou nesta terça-feira 22 que a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, deveria ter declarado sua suspeição em julgar o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Lula.

Antes de Rosa obter a relatoria do recurso de Lula, que pedia a suspensão da decisão do ministro Gilmar Mendes, responsável por anular sua nomeação ao cargo de ministro da Casa Civil e levando seu caso para a primeira instância, aos cuidados do juiz Sérgio Moro, do Paraná, o caso estava com o ministro Luiz Edson Fachin, que se declarou suspeito.

Para Janine Ribeiro, Rosa Weber não tinha isenção para julgar o caso sobre o ex-presidente Lula. O motivo: ela já trabalhou com o juiz federal Sérgio Moro, da responsável pelos processos da Operação Lava Jato. O ex-ministro lembra que Rosa Weber teve o juiz "trabalhando todo um tempo em seu gabinete".

Renato Janine Ribeiro também apontou a suspeição do ministro Gilmar Mendes. "Melhor teria feito Gilmar não examinando um recurso impetrado por auxiliar sua", escreveu ele em um post no Facebook. "Quando você não decide assunto em que próximos seus estão interessados, sua decisão soa mais justa", defende.

Leia abaixo a íntegra:

Melhor teria feito Rosa Weber, a exemplo de Fachin, declinando de examinar o recurso de Lula contra Gilmar Mendes. (E melhor teria feito Gilmar não examinando um recurso impetrado por auxiliar sua). Fachin declinou, porque foi padrinho de casamento da filha de um advogado da petição de Lula. Rosa Weber, por sua vez, teve Sergio Moro trabalhando todo um tempo em seu gabinete.
Quando você não decide assunto em que próximos seus estão interessados, sua decisão soa mais justa.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247