Janot afirma que Lava Jato “é impessoal”

Para o procurador-geral da República, o que se busca com as investigações é o "esclarecimento dos fatos" e não "uma ou outra pessoa"; declaração pode ser encarada como um recado ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está entre os investigados e na semana passada disse que está sendo alvo de uma "querela pessoal" por parte de Rodrigo Janot

Para o procurador-geral da República, o que se busca com as investigações é o "esclarecimento dos fatos" e não "uma ou outra pessoa"; declaração pode ser encarada como um recado ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está entre os investigados e na semana passada disse que está sendo alvo de uma "querela pessoal" por parte de Rodrigo Janot
Para o procurador-geral da República, o que se busca com as investigações é o "esclarecimento dos fatos" e não "uma ou outra pessoa"; declaração pode ser encarada como um recado ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está entre os investigados e na semana passada disse que está sendo alvo de uma "querela pessoal" por parte de Rodrigo Janot (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, as investigações da Operação Lava Jato, que apura casos de desvios e corrupção na Petrobras, são feitas de maneira "impessoal" pelo Ministério Público Federal. Segundo Janot, o que se busca com as investigações é o "esclarecimento dos fatos" e não "uma ou outra pessoa".

A declaração pode ser encarada como um recado ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está entre os investigados e na semana passada disse que está sendo alvo de uma "querela pessoal" por parte de Janot.

A afirmação de Janot foi feita nesta segunda-feira (11) durante cerimônia de repatriamento da restituição de R$ 157 milhões oriundos da Suíça e que estavam em contas do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco. "Os resultados são visíveis, porque o trabalho está sendo impessoalmente conduzido. Não se busca o alvo de uma ou outra pessoa. O que se busca são esclarecimento dos fatos. Do esclarecimento dos fatos chegamos a autoria que é necessária para a persecução penal", disse Janot.

"É um trabalho cooperado, integrado, absolutamente impessoal, trabalho profissional que não tem por objetivo outro que não seja a completa elucidação dos fatos, com a imputação da responsabilidade de forma impessoal àqueles que contribuíram para a pratica dos ilícitos", completou.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247