Jaques Wagner diz que se arrepende de ter aprovado a delação premiada

O senador Jaques Wagner (PT-BA) lamentou ter participado da aprovação da lei que instituiu a delação premiada, sancionada no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Ele disse: "hoje, sou obrigado a dizer que me arrependo de ter contribuído, porque nós não fomos, na minha opinião, no detalhe."

Senador Jaques Wagner questiona Moro na CCJ
Senador Jaques Wagner questiona Moro na CCJ (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

247 - O senador Jaques Wagner (PT-BA) lamentou ter participado da aprovação da lei que instituiu a delação premiada, sancionada no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Ele disse: "hoje, sou obrigado a dizer que me arrependo de ter contribuído, porque nós não fomos, na minha opinião, no detalhe."

A reportagem da Folha de S. Paulo destaca que "para ele, Pinheiro escreveu o documento sob ameaça. 'A carta, para mim, chega a ser risível. Porque a carta alguém deve ter dito ‘ou você escreve a carta, ou você não terá o benefício de eventual redução de pena’.”

A matéria avança, sublinhando a fala de Wagner: "na verdade, eu não tenho provas, mas imagino...eu conheço o Léo Pinheiro. O que ele deve ter passado lá dentro. Não sei que tipo de ameaças que ele recebeu (...) É impossível você falar de uma contribuição livre e espontânea de alguém que está preso.”

Ao vivo na TV 247 Youtube 247