Judeus pela Democracia condenam ataque de Eduardo Bolsonaro à memória de Herzog

"Comparar Herzog com ustra é comparar torturado com torturador, vítima com executor, resistência com homicídio", dizem os Judeus pela Democracia ao condenar declaração do deputado filho de Jair Bolsonaro

Vladimir Herzog
Vladimir Herzog (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O coletivo Judeus pela Democracia protestou nesta sexta-feira (12) contra o deputado Eduardo Bolsonaro, por ele ter comparado o torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, um dos principais símbolos da ditadura militar no Brasil, com o jornalista Vladimir Herzog, morto pelo regime em 1975.

Eduardo Bolsonaro fez a comparação em post no Instagram (leia abaixo) ao compartilhar post do secretário da Cultura, Mario Frias, que por sua vez criticava matéria da jornalista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, nesta sexta (12) sobre o governo federal reprovar plano anual do Instituto Vladimir Herzog na Lei Rouanet.

Os Judeus pela Democracia reagiram e disseram que o Instituto Vladimir Herzog foi censurado pois a "ideologia do governo é a do torturador". "Comparar Herzog com ustra é comparar torturado com torturador, vítima com executor, resistência com homicídio.  A memória de Herzog é eterna. A eduardo e ustra cabe a lata de lixo", afirmam. 

Leia o manifesto em defesa do Instituto Vladimir Herzog:

Manifesto Vladimir Herzog



Leia a publicação de Eduardo Bolsonaro:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email