Juiz Marcelo Semer ironiza decisão de Fux: "Inauguramos o sistema tricameral"

"Inauguramos o sistema tricameral: lei deve ser aprovada na Câmara, no Senado e no STF. Com audiências públicas nas três casas", escreveu o juiz Marcelo Semer sobre a decisão de Fux

"Construir um processo penal eficaz que não perca seu caráter de garantia é a única chance de defesa contra o estado policial que se avizinha. Nenhuma tropa de elite vai fazer mais por nossa democracia", diz o juiz Marcelo Semer, em artigo sobre a tirania da delação
"Construir um processo penal eficaz que não perca seu caráter de garantia é a única chance de defesa contra o estado policial que se avizinha. Nenhuma tropa de elite vai fazer mais por nossa democracia", diz o juiz Marcelo Semer, em artigo sobre a tirania da delação (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O juiz Marcelo Semer, escritor e membro da Associação Juízes para a Democracia, comentou em tom irônico a decisão do ministro Luiz Fux, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, que nesta quarta-feira (22) suspendeu por tempo indeterminado a implantação do juiz de garantias.

Segundo o juiz, a decisão de Fux muda o sistema bicamenral do Poder Legislativo, que é composto pelo Senado Federal e Câmara dos Deputados, formando o Congresso Nacional.

"Inauguramos o sistema tricameral: lei deve ser aprovada na Câmara, no Senado e no STF. Com audiências públicas nas três casas", escreveu o juiz, compartilhando um comentário do ministro Sergio Moro, que é contra a criação do juiz das garantias, elogiando a decisão de Fux. 


O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247