Jurista Joaquim Falcão diz que ministros do STF “estão falando demais”

Um dos juristas mais respeitados do país, o professor de Direito Constitucional da FGV/Rio, Joaquim Falcão, disse que os ministros do Supremo Tribunal federal (STF) estão "falando demais" sobre o  processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; "Isso não é recomendado, inclusive, pela legislação. A lei orgânica da magistratura. Ministro fala nos autos. É direito da cidadania ele não somente ser imparcial, mas parecer imparcial", afirmou; declaração faz referência a uma entrevista recente do ministro do STF Marco Aurélio Mello que afirmou que o processo de impeachment da presidente Dilma pode "transparecer um golpe"

Um dos juristas mais respeitados do país, o professor de Direito Constitucional da FGV/Rio, Joaquim Falcão, disse que os ministros do Supremo Tribunal federal (STF) estão "falando demais" sobre o  processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; "Isso não é recomendado, inclusive, pela legislação. A lei orgânica da magistratura. Ministro fala nos autos. É direito da cidadania ele não somente ser imparcial, mas parecer imparcial", afirmou; declaração faz referência a uma entrevista recente do ministro do STF Marco Aurélio Mello que afirmou que o processo de impeachment da presidente Dilma pode "transparecer um golpe"
Um dos juristas mais respeitados do país, o professor de Direito Constitucional da FGV/Rio, Joaquim Falcão, disse que os ministros do Supremo Tribunal federal (STF) estão "falando demais" sobre o  processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; "Isso não é recomendado, inclusive, pela legislação. A lei orgânica da magistratura. Ministro fala nos autos. É direito da cidadania ele não somente ser imparcial, mas parecer imparcial", afirmou; declaração faz referência a uma entrevista recente do ministro do STF Marco Aurélio Mello que afirmou que o processo de impeachment da presidente Dilma pode "transparecer um golpe" (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um dos juristas mais respeitados do país, o professor de Direito Constitucional da FGV/Rio, Joaquim Falcão, disse que os ministros do Supremo Tribunal federal (STF) estão "falando demais" ao se posicionarem sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

"Isso não é recomendado, inclusive, pela legislação. A lei orgânica da magistratura. Ministro fala nos autos. É direito da cidadania ele não somente ser imparcial, mas parecer imparcial", disse em entrevista que será veiculada neste sábado pelo programa Ponto a Ponto pela Band News.

A declaração de Falcão faz referência a uma entrevista recente do ministro do STF Marco Aurélio Mello que afirmou que o processo de impeachment da presidente Dilma pode "transparecer um golpe".

Falcão disse, ainda, que a força-tarefa que atua na Operaçao lava jato tem sido responsável por prover algo novo no Brasil. "O grupo do Lava Jato é de uma geração nova que fez concurso. Os que integram este grupo estão lá por mérito. Usa tecnologia, cooperação internacional excelentemente. Dão valor aos fatos, muito mais a doutrinas e abstrações. Eles mandam as denúncias para o Supremo, a sustentabilidade dos fatos é muito grande. A opinião pública entende mais de fatos e isso penetra mais na opinião pública do que tese jurídica", destacou.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247