Juristas dizem que Bolsonaro distorce Constituição para defender golpe militar

Juristas avaliam que a interpretação adotada por Jair Bolsonaro sobre o artigo 142 da Constituição, de que não seria ilegal um decreto de intervenção militar, “não faz sentido” e que ele incorre em crime de responsabilidade ao incentivar este tipo de narrativa

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro em Brasília
Jair Bolsonaro em Brasília (Foto: REUTERS/Adriano Machado)


247 - A narrativa adotada por Jair Bolsonaro e seus aliados de que o artigo 142 da Constituição, de que não seria ilegal um decreto de intervenção militar contra o que afirmam serem excessos do Supremo Tribunal Federal (STF), não encontra eco entre a classe jurídica. Para os juristas, a interpretação “não faz sentido” e que Bolsonaro incorre em crime de responsabilidade ao incentivar este tipo de interpretação. 

“Essa interpretação do artigo 142 não faz nenhum sentido em um ambiente profissional de pessoas treinadas a interpretar a Constituição. Estão achando que é possível pegar três ou quatro palavras soltas e interpretá-las de maneira descontextualizada”, disse o professor da FGV Direito Rio Thomaz Pereira em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo

Já o professor de Direito do Insper Diego Werneck, destacou que o uso distorcido do que diz o artigo 142 da Constituição visa dar “um verniz jurídico” a uma eventual tentativa de golpe. “No fundo, é para dizer que o presidente faz o que quer. Isso é absolutamente contrário à Constituição”, ressaltou. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“No fundo, é para dizer que o presidente faz o que quer. Isso é absolutamente contrário à Constituição”, disse Diego Werneck, professor de Direito do Insper. “É difícil encontrar um adjetivo suficiente para expressar o quanto essa leitura é discrepante do texto constitucional. A interpretação coloca que Forças Armadas servem para garantia dos poderes constitucionais, e também da lei e da ordem, mas não entende que lei e ordem é conforme definido pelos outros Poderes dentro de suas atribuições”, completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email