CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Justiça ouve 14 da Operação Monte Carlo

Em Goiânia, Polícia Federal mobiliza forte aparato para garantir sessão judicial que ouvirá 14 depoimentos, entre eles o de Wladimir Garcêz e o do araponga Dadá, apontados como membros do esquema de Cachoeira; bicheiro fala amanhã; juiz duro

Justiça ouve 14 da Operação Monte Carlo (Foto: Edição/247)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – Sob forte aparato de segurança, com a 11ª Vara da Justiça Federal em Goiânia cercada por agentes armados da Polícia Federal, começaram na manhã desta terça-feira os 14 os depoimentos de testemunhas à volta das apurações da Operação Monte Carlo. Dentro da corte, houve intenso bate-boca entre advogados. O agente da PF Fábio Alvarez afirmou que o contraventor Carlinhos Cachoeira era chamado de líder por outros acusados de pertencerem à organização criminosa que explorava jogos ilegais em Goiás.

Abaixo, notícia do Portal R7 sobre o início das audiências:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A primeira hora da audiência sobre a operação Monte Carlo foi marcada por um intenso bate-boca entre os advogados dos réus e os procuradores da República Daniel de Rezende e Léa Batista.

Logo no início da audiência na sede da Justiça Federal em Goiânia, por volta de 9h20, os advogados tentaram adiar a audiência. Com a negativa do juiz, questionaram a presença da imprensa, de gravação da sessão e ainda da escolha de testemunhas.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Quando a primeira testemunha, o agente da PF Fábio Alvarez começou a responder as perguntas dos procuradores, o clima esquentou. Os advogados reclamaram do teor das perguntas e disseram que eram questões subjetivas e que o depoente falava de coisas irrelevantes para a investigação.

O advogado de Dadá, José Olímpio e Raimundo, Leonardo Gagno, chegou a se exaltar e dizer que a testemunha estava falando de réus de outra investigação e que não estavam presentes, o que seria "um absurdo". No início da audiência ele questionou o desmembramento das ações penais e só oito réus estarem presentes nesta terça.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O procurador Daniel de Rezende reclamou que o tempo todo a defesa estava tumultuando e atrapalhando o raciocínio.

— A defesa quer tumultuar. Essa é a intenção da defesa.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Gagno retrucou:

— Não é tumultuar, o que se ensina na faculdade de Direito do senhor deve ser diferente então, só pode ser isso.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A discussão continuou. Irritado, o juiz Alderico Rocha que já tinha parado a sessão várias vezes para acalmar os ânimos se dirigiu ao advogado pedindo silêncio.

— Na faculdade o senhor estudou. Qual o prejuízo? Eu já expliquei umas dez vezes, não é possível que o senhor não entendeu. O senhor está tumultuando. Deixe a acusação perguntar.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Nesta terça (24), serão ouvidos os depoimento de 14 testemunhas, sendo quatro de acusação e dez de defesa. Todos devem ser questionados pelos promotores, advogados e pelo juiz.

Na quarta (25), Cachoeira foi convocado para depor junto com outros sete indiciados: Idalberto Matias de Araújo, apontado como "araponga" que teria aliciado policiais; Lenine Araújo de Souza, apontado como gerente do grupo e responsável pela contabilidade; José Olímpio de Queiroga Neto, apontado como gerente do grupo no Entorno do DF; Gleyb Ferreira da Cruz, apontado como laranja; Wladimir Garcez, apontado como facilitador dos negócios junto a agentes públicos; Geovani Pereira da Silva, apontado como contador de Cachoeira; e Raimundo Washington de Sousa e Queiroga, apontado como ajudante na estrutura da quadrilha no Entorno do DF.

Dos convocados, apenas Geovani não deve comparecer. Ele está foragido e, segundo o seu advogado Calixto Abdala Neto, ele não vai se apresentar até que o pedido de prisão seja revogado.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO