Kakay diz ter se encontrado com Fernando Baiano em Paris

O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, confirmou ter se encontrado em Paris com Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano", e apontado pela Justiça do Paraná como o operador do PMDB em negócios da Petrobras; segundo Kakay, o encontro aconteceu a pedido do próprio Fernando há trinta dias; na conversa, Baiano se dizia muito tranquilo

O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, confirmou ter se encontrado em Paris com Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano", e apontado pela Justiça do Paraná como o operador do PMDB em negócios da Petrobras; segundo Kakay, o encontro aconteceu a pedido do próprio Fernando há trinta dias; na conversa, Baiano se dizia muito tranquilo
O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, confirmou ter se encontrado em Paris com Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano", e apontado pela Justiça do Paraná como o operador do PMDB em negócios da Petrobras; segundo Kakay, o encontro aconteceu a pedido do próprio Fernando há trinta dias; na conversa, Baiano se dizia muito tranquilo (Foto: Valter Lima)

247 - O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, confirmou ter se encontrado em Paris com Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano", e apontado pela Justiça do Paraná como o operador do PMDB em negócios da Petrobras. Segundo Kakay, o encontro aconteceu a pedido do próprio Fernando Soares e foi mediado por um amigo comum, que ele não identificou. A informação é da jornalista Cristiana Lôbo. 

O encontro teria ocorrido há cerca de 30 dias, logo depois da notícia sobre a delação premiada de Paulo Roberto Costa. Segundo Kakay, Fernando Baiano contou que havia passado por Madrid e seu interesse era saber como o advogado avaliava quais seriam os desdobramentos da Operação Lava Jato. Nessa ocasião, Kakay era advogado do doleiro Alberto Youssef.
 
Kakay diz não saber o que pretende fazer agora Fernando Soares, que teve a prisão preventiva decretada junto com os executivos de importantes empreiteiras do país, mas não se apresentou e é dado como foragido da polícia. Mas não descarta a possibilidade de ele se apresentar e também recorrer à delação premiada. Na conversa que tiveram há mais de um mês, segundo Kakay, Fernando Baiano se dizia muito tranquilo. Contou que tinha amigos no PMDB e que acreditava que não seria citado por Paulo Roberto Costa, de quem se disse muito amigo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247