Kakay: tenho certeza de que a maioria dos procuradores não concorda com os abusos de Deltan

"Imoral. Ilegal", diz o advogado, que cobra manifestação de procuradores e policiais diante das revelações da Vaza Jato. Para ele, "a maioria esmagadora do Ministério Público e da Polícia Federal é séria e não concorda com os abusos"

(Foto: Alessandro Loyola/PSDB)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o 'Kakay', repudiou o comportamento do procurador Deltan Dallagnol, chefe da Lava Jato, que conforme revelação do site The Intercept, em parceria com a Folha de S.Paulo, montou um plano para enriquecer com palestras e criar uma empresa em que ele e os colegas não apareceriam como sócios, mas sim seus parentes.

"Imoral. Ilegal", diz o advogado, que afirma denunciar os excessos e as ilegalidades da Lava Jato mundo afora. Para ele, "a maioria esmagadora do Ministério Público e da Polícia Federal é séria e não concorda com os abusos". Kakay também cobra uma manifestação da categoria diante dos vazamentos. Leia a íntegra de sua manifestação:

"Eu tenho falado, há pelo menos 3 anos, em debates Brasil afora, que estes shows que os Procuradores faziam e fazem logo após cada Operação, com uma humilhante exposição dos investigados, visa quebrar a moral das pessoas, pressionar o Judiciário para afastar qualquer lampejo garantista e CONSOLIDAR UMA IMAGEM DE HERÓI DESTES PROCURADORES VISANDO O USO FUTURO DA IMAGEM PARA GANHAR DINHEIRO COM PALESTRAS E TAMBÉM TER VANTAGEM PARA ENTRAREM NA POLÍTICA PARTIDÁRIA. 

Bato sempre nesta tecla. Eles usam os grandes meios de comunicação para se promoverem às custas da imagem “dos investigados” escolhidos a dedo por eles. Imoral. Ilegal. É o que tenho denunciado com a ESPETACULARIZAÇÃO DO PROCESSO PENAL. Mas há um ponto importante que deve ser ressaltado. Vários procuradores são sérios e não concordam com esta instrumentalização do Ministério Público. Me parece evidente que TODOS hoje sabem que os diálogos vazados são verdadeiros, mas os Procuradores insistem em não se manifestarem, salvo um que falou ao Correio Braziliense, mas na covardia do anonimato. Será que agora se manterão neste silêncio cúmplice? Sabendo que o sub-chefe, o chefe era o Juiz, estava levando vantagens financeiras?

Será que, mesmo sabendo que aparecerão áudios, vídeos, e que com as vozes e imagens será impossível continuar negando, estes Procuradores e Policiais Federais vão insistir neste silêncio vergonhoso? Eu tenho convicção, não tenho prova, que a maioria esmagadora do Ministério Público e da Polícia Federal é séria e não concorda com os abusos. Com a palavra o Procuradores e Delegados."

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247