Lava Jato grampeou 37 telefones ligados a Lula

Na lista há pessoas, como o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, e uma das assessoras do ex-presidente Clara Ant, e instituições, como a sede do Instituto Lula e a LILS, empresa de palestras do ex-presidente; o escritório Teixeira, Martins e Advogados, que faz a defesa de Lula da Silva, informou que todos os membros do escritório tiveram os sigilos telefônicos quebrados de forma irregular, ao todo 25 advogados; grampos foram autorizados pelo juiz Sérgio Moro

Na lista há pessoas, como o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, e uma das assessoras do ex-presidente Clara Ant, e instituições, como a sede do Instituto Lula e a LILS, empresa de palestras do ex-presidente; o escritório Teixeira, Martins e Advogados, que faz a defesa de Lula da Silva, informou que todos os membros do escritório tiveram os sigilos telefônicos quebrados de forma irregular, ao todo 25 advogados; grampos foram autorizados pelo juiz Sérgio Moro
Na lista há pessoas, como o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, e uma das assessoras do ex-presidente Clara Ant, e instituições, como a sede do Instituto Lula e a LILS, empresa de palestras do ex-presidente; o escritório Teixeira, Martins e Advogados, que faz a defesa de Lula da Silva, informou que todos os membros do escritório tiveram os sigilos telefônicos quebrados de forma irregular, ao todo 25 advogados; grampos foram autorizados pelo juiz Sérgio Moro (Foto: Gisele Federicce)

247 – A força-tarefa da Operação Lava Jato grampeou 37 números de telefone ligados ao ex-presidente Lula. As gravações, feitas pela Polícia Federal, foram todas autorizados e divulgadas pelo juiz Sérgio Moro, que comanda os processos da Lava Jato em primeira instância.

Na lista há pessoas, como o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, e uma das mais antigas assessoras do ex-presidente, Clara Ant. E também instituições, como a sede do Instituto Lula e a LILS, empresa de palestras do ex-presidente.

O escritório Teixeira, Martins e Advogados, responsável pela defesa de Lula, informou em nota divulgada nesta quinta-feira 17 que todos os membros do escritório tiveram os sigilos telefônicos quebrados de forma irregular, ao todo 25 advogados.

Eles condenaram a prática, lembrando que a comunicação entre advogados e clientes é protegida por lei, e apontaram "grave atentado às garantias constitucionais da inviolabilidade das comunicações telefônicas e da ampla defesa" (leia aqui). A OAB também condenou a gravação de conversas de advogados.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247