“Lava Jato não parou e não vai parar”, diz delegado

O delegado Igor Romário de Paula, Chefe da Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (Delecor) do Paraná e ex-coordenador da força-tarefa da operação, o delegado afirmou em entrevista coletiva: “A Lava-Jato não parou e não vai parar"; de acordo com ele, a deflagração de duas fases da Operação nesta sexta-feira (18), foi coincidência, ainda que ajude a otimizar recursos, "que andam escassos"  

igor romário
igor romário (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O delegado Igor Romário de Paula, integrante da força-tarefa da Lava Jato, reafirmou nesta sexta-feira 18 a continuidade das investigações.

Chefe da Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (Delecor) do Paraná e ex-coordenador da força-tarefa da operação, o delegado afirmou em entrevista coletiva: “A Lava Jato não parou e não vai parar. Não temos mais espaço para isso no país.”

Segundo de Paula, a deflagração de duas fases da Lava Jato nesta sexta é uma maneira de otimizar recursos, que "estão faltando". A ação dupla, porém, não é uma regra, disse ele. "A investigação tem o seu tempo, aconteceu uma coincidência hoje".

Já o procurador Paulo Roberto Galvão de Carvalho, do Ministério Público Federal e também integrante da força-tarefa, comentou a necessidade de uma reforma política.

"Precisamos mudar o sistema político que incentivou negócios com pagamento de propina e que políticos buscassem financiamento indevido de campanhas. Mas as propostas passam ao largo disso”, disse. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email