Lava Jato não seguia sequer a ética dos bandidos, diz Nassif

Jornalista Luis Nassif diz que diante de novas revelações da Vaza Jato, não há tergiversação possível; "Ou se é a favor da lei e das instituições, ou se é apenas um vociferante membro da torcida, da plebe ignara e inculta que ameaça invadir os palácios"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ao comentar as novas revelações da Vaza Jato neste sábado, 7, o jornalista Luis Nassif, editor do Jornal GGN, afirmou que não há tergiversação possível. "Ou se é a favor da lei e das instituições, ou se é apenas um vociferante membro da torcida, da plebe ignara e inculta que ameaça invadir os palácios", diz Nassif.

Segundo o jornalista, as novas revelações da Vazajato, pela Folha, reforçam cinco os pontos centrais dos outros vazamentos. "O não cumprimento dos acordos de delação; uso do vazamento como instrumento político; comando total de Sérgio Moro, exercido através de Dallagnol; cooperação informal ilegal com autoridades de outros países; e Vazamentos praticadas pelas três instâncias do MPF", elenca Nassif.

"Não há um advogado, juiz ou procurador sério que aceite endossar essas ilegalidades. Apenas um ou outro jurista ou Ministro, que abdicou do direito em favor do proselitismo político, ou que já entrou até o meio do pântano da Lava Jato, sem possibilidade de retorno, esboça alguma defesa desses absurdos. Nesse momento, o silêncio é aval para a desmoralização final do Supremo, do Ministério Público, do Judiciário em geral", diz Nassif. 

Leia o texto na íntegra no Jornal GGN

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email