Lava Jato tinha 22 diálogos de Lula e só usou um deles para manipular a opinião pública e pressionar o STF

Novas revelações escancaram ainda mais a partidarização da Lava Jato: a operação tinha 22 diálogos de Lula, porém usou apenas um deles para interferir na política. Em março de 2016, o então juíz Sérgio Moro divulgou grampos ilegais em que a então presidente Dilma Rousseff tratou com Lula sua eventual posse como ministro da Casa Civil. Moro até pediu desculpas ao STF, mas nem ao ex-presidente, nem a Dilma

247 - Novas revelações escancaram ainda mais a partidarização da Lava Jato: a operação tinha 22 diálogos de Luiz Inácio Lula da Silva, mas usou apenas um deles para interferir na política. Em 16 de março de 2016, o então juíz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, tornou público um diálogo em que a então presidente Dilma Rousseff tratou com o ex-presidente sua eventual posse como ministro da Casa Civil. Todas as outras conversas mostravam que o ex-presidente estava na dúvida se aceitaria o convite ou não, o que enfraquece a tese usada por Moro de que Lula queria ser blindado da Lava Jato. 

"Além da conversa com a então presidente Dilma Rousseff (PT) sobre o termo de posse de Lula como ministro da Casa Civil, que foi divulgada após ter o sigilo levantado pelo então juiz Sergio Moro, o petista fez outras 21 ligações", destaca reportagem do site Intercept Brasil em parceria com o jornal Folha de S.Paulo, que divulgou todos os outros diálogos. 

Após ter soltado o grampo, que era ilegal porque presidente da República tem prerrogativa de foro por função, Moro pediu desculpas ao Supremo Tribunal Federal, mas não pediu nem a Dilma, nem a Lula. 

"Diante da controvérsia decorrente do levantamento do sigilo e da r. decisão de V.Ex.ª, compreendo que o entendimento então adotado possa ser considerado incorreto, ou mesmo sendo correto, possa ter trazido polêmicas e constrangimentos desnecessários. Jamais foi a intenção desse julgador, ao proferir a aludida decisão de 16/03, provocar tais efeitos e, por eles, solicito desde logo respeitosas escusas a este Egrégio Supremo Tribunal Federal", escreveu ele em despacho.

Pelo Twitter, o ex-presidente Lula afirmou que o ex-juíz "produziu uma farsa, enganando todo o Brasil, para dar um golpe no país".

Confira o diálogo divulgado por Moro de forma ilegal:

Dilma: Alô

Lula: Alô

Dilma: Lula, deixa eu te falar uma coisa.

Lula: Fala querida. Ahn.

Dilma: Seguinte, eu tô mandando o "Messias" [Jorge Rodrigo Araújo Messias, subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil] junto com o papel pra gente ter ele, e só usa em caso de necessidade, que é o termo de posse, tá?

Lula: Tá bom. Eu tô aqui. Fico aguardando.

Dilma: Tá

Lula: Tá bom.

Dilma: Tchau

Lula: Tchau, querida.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247