Lavenère desconstrói pedido de impeachment da OAB

"A decisão foi muito fora do histórico e da biografia da OAB. A Ordem sempre é conhecida como defensora da legalidade, da democracia, da Constituição e, neste caso, ela está no mesmo barco dos segmentos da população que não estão ligando para isso e estão achando que, para derrubar a presidenta, vale ferir a lei, a Constituição e a democracia", disse Marcello Lavenère Machado, ex-presidente do Conselho Federal da OAB e membro honorário vitalício da Ordem

"A decisão foi muito fora do histórico e da biografia da OAB. A Ordem sempre é conhecida como defensora da legalidade, da democracia, da Constituição e, neste caso, ela está no mesmo barco dos segmentos da população que não estão ligando para isso e estão achando que, para derrubar a presidenta, vale ferir a lei, a Constituição e a democracia", disse Marcello Lavenère Machado, ex-presidente do Conselho Federal da OAB e membro honorário vitalício da Ordem
"A decisão foi muito fora do histórico e da biografia da OAB. A Ordem sempre é conhecida como defensora da legalidade, da democracia, da Constituição e, neste caso, ela está no mesmo barco dos segmentos da população que não estão ligando para isso e estão achando que, para derrubar a presidenta, vale ferir a lei, a Constituição e a democracia", disse Marcello Lavenère Machado, ex-presidente do Conselho Federal da OAB e membro honorário vitalício da Ordem (Foto: Gisele Federicce)

247 - Em entrevista concedida ao jornalista Ricardo Borges, o ex-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Marcello Lavenère Machado desconstrói os argumentos que sustentam o novo pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff protocolado pelo presidente da instituição, Claudio Lamachia, na segunda-feira na Câmara dos Deputados.

Lavenère foi o autor do pedido que resultou no impeachment do ex-presidente Fernando Collor, em 1992, e um dos apenas dois votos dentro da OAB, junto com o estado do Pará, a se posicionar de forma contrária ao afastamento de Dilma. Mas com 26 votos a favor, a Ordem se manifestou oficialmente a favor do impedimento. Segundo ele, a Ordem não poderia entrar com este pedido, até porque não foi isso que ficou acertado na reunião que definiu o apoio ao afastamento.

"A decisão foi muito fora do histórico e da biografia da OAB. A Ordem sempre é conhecida como defensora da legalidade, da democracia, da Constituição e, neste caso, ela está no mesmo barco dos segmentos da população que não estão ligando para isso e estão achando que, para derrubar a presidenta, vale ferir a lei, a Constituição e a democracia", disse o advogado, que é membro honorário vitalício da OAB.

Confira a íntegra da entrevista no vídeo abaixo, publicado na página da senadora Fátima Bezerra no Facebook:

 
Marcello Lavenère desconstrói pedido de impeachment da OAB

Em entrevista exclusiva, o ex-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcello Lavenère Machado, desconstrói os argumentos do novo pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, protocolado pela OAB, na segunda-feira. Lavenère foi o autor do pedido que resultou no impeachment do ex-presidente Fernando Collor, em 1992.Segundo ele, a Ordem não poderia entrar com este pedido. “A decisão foi muito fora do histórico e da biografia da OAB. A Ordem sempre é conhecida como defensora da legalidade, da democracia, da Constituição e, neste caso, ela está no mesmo barco dos segmentos da população que não estão ligando para isso e estão achando que, para derrubar a presidenta, vale ferir a lei, a Constituição e a democracia”, disse. #NãoVaiTerGolpe

Publicado por Fátima Bezerra em Quarta, 30 de março de 2016

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247