Lewandowski reage e acusa Fux de censurar imprensa

O ministro do STF Ricardo Lewandowski qualificou como "censura" a decisão do também ministro da Luiz Fux que impediu Lula, preso em Curitiba, de conceder uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo e ao jornalista Florestan Fernandes Jr; mais cedo, o presidente do STF, Dias Toffoli, havia anunciado que não pautará no plenário da Corte o assunto antes do primeiro turno; na prática, Toffoli alia-se a Fux que, numa decisão eivada de ilegalidades, censurou Lula e seu colega Ricardo Lewandowski

Lewandowski reage e acusa Fux de censurar imprensa
Lewandowski reage e acusa Fux de censurar imprensa
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski qualificou como "censura" a decisão do também ministro da Corte Luiz Fux que impediu que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso em Curitiba por razões políticas, condesse uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Embora não tenha citado nem o nome de Fux, nem o de Lula, a declaração de Lewandowski, feita durante um debate na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) não deixa dúvidas sobre o tema. Ao citar algumas "decisões surpreendentes" do STF, Lewandowski destacou que "essa decisão censurou um dos mais importantes veículos de comunicação do Brasil, impedindo que este veículo fizesse uma entrevista com um ex-presidente da República".

Mais cedo, no mesmo evento, o presidente do STF, Dias Toffoli, afirmou que não pautará antes das eleições a possibilidade de o ex-presidente Lula conceder entrevistas a órgãos de imprensa. "Não vou pautar causas polêmicas nesse período. É o momento de o povo refletir e o povo votar", disse. Na prática, Toffoli alia-se ao ministro Luís Fux que, numa decisão eivada de ilegalidades, censurou Lula e seu colega Ricardo Lewandowski. (Leia mais sobre o assunto na matéria do Brasil 247)

A decisão monocrática tomada por Fux na última sexta-feira (28) cancelou a liminar concedida pelo Ricardo Lewandowski, que havia autorizado o ex-presidente Lula a dar entrevistas para a Folha de S. Paulo e para o jornalista Florestan Fernandes Júnior. Na justificativa que acatou pedido feito pelo Partido Novo, Fux determinou que Lula "se abstenha de realizar entrevista ou declaração a qualquer meio de comunicação, seja a imprensa ou outro veículo destinado à transmissão de informação para o público em geral".

Anteriormente, tanto a Procuradoria Geral da República quanto o procurador Deltan Dallagnol haviam defendido que todos os veículos que quisessem deveriam ter o direito de entrevistar Lula.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247