Líder do povo Tembé Theneteraha de apenas 24 anos é morto pela PM no Pará

Isac Tembé foi morto a tiros enquanto caçava com um grupo de guerreiros na Terra Indígena Alto Rio Guamá, no nordeste do Pará

Isac Tembé, de apenas 24 anos, morto pela PM no Pará
Isac Tembé, de apenas 24 anos, morto pela PM no Pará (Foto: Redes sociais)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Isac Tembé, 24 anos, liderança do povo Tembé Theneteraha, foi morto a tiros pela Polícia Militar na noite de sexta-feira em Capitão Poço, nordeste do Pará. Ele fazia parte do grupo de jovens indígenas kamarar wà, filho de cacique da aldeia Jacaré, no município. O crime aconteceu por volta das 22h e foi confirmado por pessoas e lideranças próximas da vítima.

Segundo os indígenas, o crime foi cometido pela Polícia Militar e aconteceu quando o indígena caçava junto com um grupo de guerreiros jovens na Terra Indígena Alto Rio Guamá, no município de Capitão Poço. 

Informações mais recentes publicadas pelo jornal O Liberal, de Belém (PA), dizem que o corpo do jovem foi levado pela Polícia Militar para Capitão Poço e está na funerária. Ainda segundo informações dos indígenas, “os policiais envolvidos se trancaram na Delegacia do município durante a noite e hoje (sábado) pela manhã sumiram da cidade”.  O Ministério Público Federal (MPF) informou que enviou neste sábado (13) encaminhou um ofício à Polícia Militar, à Polícia Federal, à Polícia Civil e à Fundação Nacional do Índio (Funai) em que são requisitadas informações sobre a morte do indígena Isac Tembé, em Capitão Poço, no nordeste do Pará.

O MPF requisitou às polícias e à Funai que informem as circunstâncias da morte, o andamento dos procedimentos investigatórios instaurados, se houve a realização de perícia no local em que ocorreu o fato e se foi realizada a oitiva das pessoas presentes no local dos fatos.

O MPF também requisitou cópias dos documentos relativos ao caso e às respostas que serão fornecidas. O prazo para que as respostas sejam apresentadas é de três dias.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email