Lindbergh: acordão de Temer e PSDB salva pescoço de Aécio

Em vídeo publicado em seu Facebook, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) mostrou indignação com a sessão do Senado que manteve o mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG); para Lindbergh, isso foi articulado num acordão entre o governo Temer e o PSDB para "salvar" o pescoço de Aécio; de acordo com o parlamentar petista, o próximo passo do esquema é salvar o mandato de Temer 

Lindbergh Farias
Lindbergh Farias (Foto: Charles Nisz)

247 - O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) comentou, em seu Facebook, a sessão do Senado que decidiu pela manutenção do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG). O senador mineiro precisava de 42 votos para manter a cadeira no Senado e obteve um placar de 44 x 26. Para Lindbergh, isso mostra a seletividade existente em nosso país: "contra Lula, há uma perseguição sem limites, condenações sem provas. Mas ninguém fica indignado com a manutenção do mandato por Aécio".

Segundo o senador petista, "houve imensa mobilização do governo no Senado para dar a vitória a Aécio na sessão que definiu sua manutenção na Casa". De acordo com Lindbergh, tanto Temer como Aécio pedem malas de dinheiro e têm certeza da impunidade: "Aécio pediu R$ 2 milhões em dinheiro, coletados pelo primo, Com Temer, foi a mesma coisa, com um assessor, flagrado com uma mala de R$ 500 mil".

Para Lindbergh, o próximo passo, é tentar salvar o mandato de Michel Temer. "Porém, contra a esquerda, a perseguição é infindável. Em vez de Aécio Neves estar sendo julgado pelo Conselho de Ética do Senado, estou eu por defender as senadoras que ocuparam a mesa para defender os direitos dos trabalhadores", desabafou Lindbergh. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247