Luis Miguel sobre buscas contra filho de Lula: o nome disso é exceção

"A perseguição judicial e policial atinge novo patamar", comenta o cientista político, sobre a busca realizada na residência do filho do ex-presidente, Marcos Lula da Silva, diante de uma "denúncia anônima" de que havia "uma grande quantidade de drogas" no local; "Garantias e direitos não vigoram mais para ninguém", criticou ainda o professor, em postagem em seu Facebook

"A perseguição judicial e policial atinge novo patamar", comenta o cientista político, sobre a busca realizada na residência do filho do ex-presidente, Marcos Lula da Silva, diante de uma "denúncia anônima" de que havia "uma grande quantidade de drogas" no local; "Garantias e direitos não vigoram mais para ninguém", criticou ainda o professor, em postagem em seu Facebook
"A perseguição judicial e policial atinge novo patamar", comenta o cientista político, sobre a busca realizada na residência do filho do ex-presidente, Marcos Lula da Silva, diante de uma "denúncia anônima" de que havia "uma grande quantidade de drogas" no local; "Garantias e direitos não vigoram mais para ninguém", criticou ainda o professor, em postagem em seu Facebook (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Luis Felipe Miguel, em seu Facebook

A perseguição judicial e policial atinge novo patamar.

Diante de uma "denúncia anônima" de que havia "uma grande quantidade de drogas" no local, sem nenhum outro indício ou evidência, um juiz autorizou e a polícia realizou busca na casa do filho de Lula.

A polícia não encontrou droga nenhuma, mas ainda assim aproveitou e sequestrou documentos e equipamentos de informática.

O nome disso é exceção. Garantias e direitos não vigoram mais para ninguém.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247