Lula completa giro na Paraíba: no processo há provas de minha inocência

A caravana do ex-presidente Lula pelo Brasil encerrou  na manhã deste domingo em Campina Grande sua passagem pela Paraíba; na segunda-feira, a comitiva segue para Mossoró, completando a visita por 18 municípios em seis estados: Bahia (quatro cidades), Sergipe (cinco), Alagoas (três), Pernambuco (duas), Paraíba (duas) e Rio Grande do Norte (duas); “Quero dizer a vocês que tem prova no meu processo. Tem prova da minha inocência"; segundo ele, o que está sendo julgado é o fato de seu governo ter apostado no fortalecimento das empresas públicas e do Estado como ferramentas de desenvolvimento

A caravana do ex-presidente Lula pelo Brasil encerrou  na manhã deste domingo em Campina Grande sua passagem pela Paraíba; na segunda-feira, a comitiva segue para Mossoró, completando a visita por 18 municípios em seis estados: Bahia (quatro cidades), Sergipe (cinco), Alagoas (três), Pernambuco (duas), Paraíba (duas) e Rio Grande do Norte (duas); “Quero dizer a vocês que tem prova no meu processo. Tem prova da minha inocência"; segundo ele, o que está sendo julgado é o fato de seu governo ter apostado no fortalecimento das empresas públicas e do Estado como ferramentas de desenvolvimento
A caravana do ex-presidente Lula pelo Brasil encerrou  na manhã deste domingo em Campina Grande sua passagem pela Paraíba; na segunda-feira, a comitiva segue para Mossoró, completando a visita por 18 municípios em seis estados: Bahia (quatro cidades), Sergipe (cinco), Alagoas (três), Pernambuco (duas), Paraíba (duas) e Rio Grande do Norte (duas); “Quero dizer a vocês que tem prova no meu processo. Tem prova da minha inocência"; segundo ele, o que está sendo julgado é o fato de seu governo ter apostado no fortalecimento das empresas públicas e do Estado como ferramentas de desenvolvimento (Foto: José Barbacena)

247 - A caravana do ex-presidente Lula pelo Brasil encerrou  na manhã deste domingo (27) em Campina Grande sua passagem pela Paraíba. A segunda maior cidade do estado tem 410 mil habitantes e ganhou em 2009 status de Região Metropolitana, abrangendo outras 16 cidades de seu entorno. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi recebido com ato público promovido por movimentos sociais em sua homenagem no Parque Ecológico Bodocongó, antes de seguir viagem em direção a Currais Novos, já em território potiguar, com 45 mil habitantes e a 176 quilômetros de Natal.

O Rio Grande do Norte viveu um boom de universidades, institutos federais e investimentos em educação básica nos governos de Lula e Dilma Rousseff. Segundo a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), esse legado está ameaçado. “Lula decidiu colocar o pé na estrada novamente para ver de perto a situação de dificuldade que está passando a maioria do povo brasileiro”, afirmou. “Os retrocessos são insanos e inimagináveis. Em pouco tempo, Temer instaurou um processo acelerado de destruir as conquistas. É uma tragédia nacional.” A passagem de Lula por Currais Novos será às 17h no Largo do Tungstênio. Na segunda-feira, a comitiva segue para Mossoró, completando a visita por 18 municípios em seis estados: Bahia (quatro cidades), Sergipe (cinco), Alagoas (três), Pernambuco (duas), Paraíba (duas) e Rio Grande do Norte (duas). A passagem pelo Nordeste terminará em 5 de setembro, no Maranhão.

Provas 

Na noite de sábado (26), em ato público no centro de João Pessoa, Lula recebeu título de Cidadão Pessoense diante de cerca de 10 mil pessoas que tomava a Praça Ponto de Cem Réis. Lula esteve acompanhando, além de senadores, deputados e representantes dos movimentos sociais, do ex-chanceler Celso Amorim, paraibano, e do governador Ricardo Coutinho (PSB). Os discursos voltaram a subir o tom contra os atos do governo Temer e contra a perseguição judicial. “Esse país precisa manter sua soberania. Estão vendendo a Casa da Moeda. E eles não estão vendendo para fazer investimento. Estão vendendo para atender aos interesses do mercado estrangeiro. Eles querem vender tudo rápido, porque sabem que se tiver eleição, não vamos deixar”, disse.

Sobre a Lava Jato, desafiou delegados e procuradores a provar algo de errado em suas contas. “Quero dizer a vocês que tem prova no meu processo. Tem prova da minha inocência.” Segundo ele, o que está sendo julgado é o fato de seu governo ter apostado no fortalecimento das empresas públicas e do Estado como ferramentas de desenvolvimento. “O que eles estão julgando não sou eu, é a Petrobras ter passado de investir R$ 3 bilhões em pesquisa e desenvolvimento para investir R$ 30 bi. Eles não acreditavam que nós seríamos competentes para tirar o óleo que descobrimos no pré-sal”, afirmou.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247