Lula diz que fará constituinte para revogar retrocessos de Temer

Em entrevista nesta tarde à rádio Trianon, o ex-presidente Lula disse que se não inabilitado pela Justiça e vencer as eleições do próximo, um dos seus primeiros atos será a convocação de uma Assembleia Constituinte para revogar medidas que retiram direitos dos trabalhadores, proposta por Michel Temer e aprovadas no Congresso; "Nenhum governo tem direito de limitar gastos por 20 anos. Cada governante tem direito de escolher quanto vai investir em Educação, Saúde. Temos sim que fazer uma constituinte revogatória para dar condições do Estado fazer políticas de indução para voltarmos a ter novos ativos", disse

Em entrevista nesta tarde à rádio Trianon, o ex-presidente Lula disse que se não inabilitado pela Justiça e vencer as eleições do próximo, um dos seus primeiros atos será a convocação de uma Assembleia Constituinte para revogar medidas que retiram direitos dos trabalhadores, proposta por Michel Temer e aprovadas no Congresso; "Nenhum governo tem direito de limitar gastos por 20 anos. Cada governante tem direito de escolher quanto vai investir em Educação, Saúde. Temos sim que fazer uma constituinte revogatória para dar condições do Estado fazer políticas de indução para voltarmos a ter novos ativos", disse
Em entrevista nesta tarde à rádio Trianon, o ex-presidente Lula disse que se não inabilitado pela Justiça e vencer as eleições do próximo, um dos seus primeiros atos será a convocação de uma Assembleia Constituinte para revogar medidas que retiram direitos dos trabalhadores, proposta por Michel Temer e aprovadas no Congresso; "Nenhum governo tem direito de limitar gastos por 20 anos. Cada governante tem direito de escolher quanto vai investir em Educação, Saúde. Temos sim que fazer uma constituinte revogatória para dar condições do Estado fazer políticas de indução para voltarmos a ter novos ativos", disse (Foto: Aquiles Lins)

247 - Em entrevista nesta tarde à rádio Trianon, o ex-presidente Lula disse que se não inabilitado pela Justiça e vencer as eleições do próximo, um dos seus primeiros atos será a convocação de uma Assembleia Constituinte para revogar medidas que retiram direitos dos trabalhadores, proposta por Michel Temer e aprovadas no Congresso.

"Nenhum governo tem direito de limitar gastos por 20 anos. Cada governante tem direito de escolher quanto vai investir em Educação, Saúde. Temos sim que fazer uma constituinte revogatória para dar condições do Estado fazer políticas de indução para voltarmos a ter novos ativos", disse

Lula voltou a criticar a caçada judicial a que está sendo submetido. "Eles chegaram à conclusão de que prova é bobagem. Basta convicção", disse Lula. O ex-presidente afirmou que dos processos contra ele, um vem de denúncia do Estadão, um da Veja, um do Globo. "Se conta uma mentira e o juiz aceita essa denúncia. Todo dia é uma invenção e as pessoas vão sendo obrigadas a dizer o que os procuradores querem que eles digam", afirmou.

"Essas mentiras da imprensa estão cansando a sociedade. E a verdade é que um juiz não pode tomar decisão com base em opinião pública", disse Lula. 

O ex-presidente confirmou que sairá em nova caravana, desta vez em Minas. "A caravana foi um jeito mais eficaz de estar em contato com as pessoas. Política é uma relação química entre os seres humanos. Eu queria fazer uma aferição e percebi que o povo está angustiado. O povo tá vendo vários programas sociais diminuírem, o desemprego. Já estou planejando a próxima caravana no norte de Minas Gerais. E antes quero percorrer a periferia de São Paulo. Quero voltar a viajar o Brasil pra dizer claramente olhando no olho do povo que a gente pode voltar a crescer", disse Lula. 

Assista à entrevista na íntegra: 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247