Lula diz torcer para que "compareça muita gente" em ato pró-Petrobras

O ex-presidente Lula disse dar razão àqueles que têm “nojo da política” por causa das denúncias recentes de corrupção envolvendo o governo federal, mas afirmou ter orgulho de ter feito parte de um “governo que está apurando” o que ocorreu; apesar de dizer que não irá ao ato convocado por sindicatos para a próxima sexta-feira e de o governo ter pedido à CUT para cancelar manifestação, o ex-presidente afirmou torcer para que “compareça muita gente”; o ex-presidente disse ainda que “se alguém, mesmo que seja do PT, praticou qualquer ato de corrupção, ele tem que ser punido”

O ex-presidente Lula disse dar razão àqueles que têm “nojo da política” por causa das denúncias recentes de corrupção envolvendo o governo federal, mas afirmou ter orgulho de ter feito parte de um “governo que está apurando” o que ocorreu; apesar de dizer que não irá ao ato convocado por sindicatos para a próxima sexta-feira e de o governo ter pedido à CUT para cancelar manifestação, o ex-presidente afirmou torcer para que “compareça muita gente”; o ex-presidente disse ainda que “se alguém, mesmo que seja do PT, praticou qualquer ato de corrupção, ele tem que ser punido”
O ex-presidente Lula disse dar razão àqueles que têm “nojo da política” por causa das denúncias recentes de corrupção envolvendo o governo federal, mas afirmou ter orgulho de ter feito parte de um “governo que está apurando” o que ocorreu; apesar de dizer que não irá ao ato convocado por sindicatos para a próxima sexta-feira e de o governo ter pedido à CUT para cancelar manifestação, o ex-presidente afirmou torcer para que “compareça muita gente”; o ex-presidente disse ainda que “se alguém, mesmo que seja do PT, praticou qualquer ato de corrupção, ele tem que ser punido” (Foto: Valter Lima)

247 - O ex-presidente Lula disse dar razão àqueles que têm “nojo da política” por causa das denúncias recentes de corrupção envolvendo o governo federal, mas afirmou ter orgulho de ter feito parte de um “governo que está apurando” o que ocorreu. Apesar de dizer que não irá ao ato convocado por sindicatos para a próxima sexta-feira e de o governo ter pedido à CUT para cancelar manifestação, o ex-presidente afirmou torcer para que “compareça muita gente”.

"O sindicato tem razão de fazer a manifestação, espero que compareça muita gente. Que a CUT e o movimento sindical possa contribuir para nosso governo acertar e fazer as melhores coisas que têm que ser feitas", afirmou Lula, em entrevista divulgada na noite de segunda-feira pela “Rede Brasil Atual”, ligada a movimentos sindicais.

Para o ato de sexta-feira, sindicalistas prometem “defender a Petrobras” e um projeto de reforma política. A pauta prevê ainda críticas à política econômica do governo Dilma, o que teria levado Lula a não confirmar presença no ato, segundo sua assessoria. A entrevista à “Rede Brasil Atual” ocorreu na última sexta-feira.

O ex-presidente voltou a dizer que “se alguém, mesmo que seja do PT, praticou qualquer ato de corrupção, ele tem que ser punido”. E criticou indiretamente o governo do ex-presidente Fernando Henrique, dizendo ter havido um tempo em que “não aparecia denúncia de corrupção por que tinha um tapete muito grande, que as pessoas jogavam (as denúncias) embaixo”.

Para Lula, “ninguém pode ser condenado antes do julgamento final", por isso ele criticou a divulgação de nomes de investigados na Operação Lava Jato, o que estaria induzindo a “sociedade e a opinião pública” a condená-los. "Só tem um jeito de você não ser investigado, é ser honesto. É ser digno e andar de cabeça erguida. Porque um trabalhador levanta às 3h30 para trabalhar, ganha R$ 2 mil, R$ 1,5 mil por mês. Às vezes ele não consegue pagar o que comer. E ele liga a televisão e só vê denúncias de corrupção, tem razão de ter nojo da política", disse Lula.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247