Lula é um "troféu" ilegítimo que a Lava Jato não quer devolver, diz defesa

"A Lava Jato sempre fez do ex-presidente Lula um troféu. Dentro do devido processo legal, da boa aplicação das leis, ela jamais poderia ter obtido esse troféu. Ela obteve o troféu de forma ilegítima e não quer devolver”, diz o advogado Cristiano Zanin Martins

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Para o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Luiz Inácio Lula da Silva, “interesses políticos e geopolíticos” estão envolvidos na condenação  do ex-presidente e que ele virou um “troféu ilegítimo” da Lava Jato. “A Lava Jato sempre fez do ex-presidente Lula um troféu. Dentro do devido processo legal, da boa aplicação das leis, ela jamais poderia ter obtido esse troféu. Ela obteve o troféu de forma ilegítima e não quer devolver”, disse Zanin em entrevista ao UOL

Segundo Zanin, Lula continua preso ilegalmente devjdo a interesses políticos e geopolíticos. “Interesses políticos porque os processos abertos contra o ex-presidente buscavam impedi-lo de concorrer no cenário político. Isso veio a ocorrer. Ele foi impedido de concorrer nas eleições presidenciais de 2018. No aspecto geopolítico, você tem claramente a presença de interesses norte-americanos no Brasil, sobretudo no tocante ao pré-sal”, ressaltou. 

Para ele, as acusações imputadas ao ex-presidente fazem parte de uma perseguição política por meio do “uso perverso das leis” e têm como objetivo destruir o legado que ele deixou para o país. Zanin diz a prioridade agora é o julgamento do habeas corpus que trata da suspeição do ex-juiz Sergio Moro pelo Supremo Tribunal Federal (STF). “É uma ação de extrema relevância para o ex-presidente porque busca a declaração da nulidade de seus processos e o restabelecimento da sua liberdade. É também um julgamento simbólico para o restabelecimento da plenitude do Estado de Direito”, afirma. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247