Lula: quem está incendiando a Amazônia são os fazendeiros bolsonaristas

O ex-presidente Lula foi taxativo na entrevista à TV 247: quem está incendiando a Amazônia são os fazendeiros bolsonaristas. "É só pegar fotografias de satélites, saber quem é o proprietário de terra que está queimando e ir atrás do proprietário da terra para saber quem botou fogo", disse Lula aos jornalistas Mauro Lopes, Paulo Moreira Leite e Pepe Escobar

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | Reuters | Esio Mendes)

247 - Maior liderança popular do País, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi taxativo na entrevista à TV 247: quem está incendiando a Amazônia são os fazendeiros bolsonaristas. Ele falou ao jornalistas Mauro Lopes, Paulo Moreira Leite e Pepe Escobar nesta quinta-feira (22) de sua prisão na Polícia Federal de Curitiba (PR).

"É só pegar fotografias de satélites, saber quem é o proprietário de terra que está queimando e ir atrás do proprietário da terra para saber quem botou fogo. Se o dono da terra não reclamou, não foi à polícia dar queixa de que teve incêndio na terra dele, é porque foi ele quem botou fogo", disse Lula à TV 247 na capital paranaense. 

A Alemanha, o Canadá e a Noruega se uniram ao presidente francês, Emmanuel Macron, no sentido de apoiar a discussão sobre o desmatamento da Amazônia brasileira durante a cúpula do G7, neste final de semana, em Biarritz, na França. A magnitude dos incêndios "é assustadora e ameaçadora, não só para o Brasil e os outros países envolvidos, mas para todo o mundo", afirmou a chanceler alemã, Angela Merkel, por meio de seu porta-voz (veja aqui).

Segundo Macron, Bolsonaro “mentiu” sobre os compromissos ambientais assumidos pelo Brasil, o que levou a decisão da França de não ratificar o tratado comercial entre a União Européia e o Mercosul. 

"Dada a atitude do Brasil nas últimas semanas, o presidente da República só pode constatar que o presidente Bolsonaro mentiu para ele na cúpula (do G20) de Osaka", disse o governo francês por meio de nota. “O presidente Bolsonaro decidiu não respeitar seus compromissos climáticos nem se comprometer com a biodiversidade”, complementa o texto (leia aqui).

De acordo com o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), somente em junho deste ano, foram destruídos 920,2 km² de floresta na Amazônia, um aumento de 88% em comparação com o mesmo mês do ano passado. 

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) havia alertado que a devastação aumentou 88% junho e 278% julho na comparação com iguais períodos de 2018.

Veja a íntegra da entrevista: 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247