Lula será mantido preso político até segundo semestre

Após o ministro do STF Gilmar Mendes pedir para adiar o julgamento feito pela defesa de Lula para declarar suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, a Corte só volta a analisar o Habeas Corpus do ex-presidente no segundo semestre. Dois ministros da Segunda Turma do STF já votaram contra o pedido de suspeição: Cármen Lúcia e Edson Fachin. Faltam os votos de Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello. Maior liderança popular brasileira ainda é mantido como o maior preso político da história do País

Lula será mantido preso político até segundo semestre
Lula será mantido preso político até segundo semestre (Foto: Ricardo Stuckert | STF)

247 - Após o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes pedir para adiar o julgamento feito pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva para declarar suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, a Corte só volta a analisar o Habeas Corpus do ex-presidente no segundo semestre. 

Dois ministros da Segunda Turma do STF já votaram contra o pedido de suspeição: Cármen Lúcia e Edson Fachin. Faltam os votos de Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.

A defesa de Lula já havia feito o pedido antes de o site Intercept Brasil divulgar reportagens mostrando que o ministro Sérgio Moro (Justiça), na condição de juiz da Operação Lava Jato, orientou o trabalho de procuradores do Ministério Público Federal (MPF-PR), para tirar o ex-presidente da eleição. 

Lula foi condenado sem provas no processo do triplex em Guarujá (SP), acusado de ter recebido um apartamento como propina da OAS. Mas, de acordo com com reportagem do Intercept, em diálogo com Moro, o procurador Deltan Dallagnol duvidava da existência de provas.

"No dia 9 de setembro de 2016, precisamente às 21h36 daquela sexta-feira, Deltan Dallagnol enviou uma mensagem a um grupo batizado de Incendiários ROJ, formado pelos procuradores que trabalhavam no caso. Ele digitou: 'Falarão que estamos acusando com base em notícia de jornal e indícios frágeis… então é um item que é bom que esteja bem amarrado. Fora esse item, até agora tenho receio da ligação entre petrobras e o enriquecimento, e depois que me falaram to com receio da história do apto… São pontos em que temos que ter as respostas ajustadas e na ponta da língua'", diz o site.

Outro detalhe é que, na apresentação da denúncia, em setembro de 2016, o procurador Henrique Pozzobon admitiu que não havia "prova cabal" de que Lula era o proprietário do apartamento. O ex-presidente também nunca dormiu, nem tinha a chave do imóvel. 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247