Maggi arremata Fazenda Itamarati por R$ 2,2 bilhões

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, arrematou a fazenda Itamarati Norte por R$ 2,2 bilhões dos herdeiros de Olacyr de Moraes; com 105 mil hectares, a propriedade se tornou um símbolo do desenvolvimento de Mato Grosso e do potencial agrícola do Centro-Oeste brasileiro; dentro da propriedade, além de 11 pistas para pousos e decolagens, hangar e dezenas de silos, há uma vila que abriga centenas de funcionários da unidade

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, arrematou a fazenda Itamarati Norte por R$ 2,2 bilhões dos herdeiros de Olacyr de Moraes; com 105 mil hectares, a propriedade se tornou um símbolo do desenvolvimento de Mato Grosso e do potencial agrícola do Centro-Oeste brasileiro; dentro da propriedade, além de 11 pistas para pousos e decolagens, hangar e dezenas de silos, há uma vila que abriga centenas de funcionários da unidade
O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, arrematou a fazenda Itamarati Norte por R$ 2,2 bilhões dos herdeiros de Olacyr de Moraes; com 105 mil hectares, a propriedade se tornou um símbolo do desenvolvimento de Mato Grosso e do potencial agrícola do Centro-Oeste brasileiro; dentro da propriedade, além de 11 pistas para pousos e decolagens, hangar e dezenas de silos, há uma vila que abriga centenas de funcionários da unidade (Foto: Romulo Faro)

247 - O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, arrematou a fazenda Itamarati Norte por R$ 2,2 bilhões dos herdeiros de Olacyr de Moraes, de acordo com publicação de O Livre.

Com 105 mil hectares, a propriedade se tornou um símbolo do desenvolvimento de Mato Grosso e do potencial agrícola do Centro-Oeste brasileiro. Do total, 55 mil hectares são destinados à agricultura, enquanto o restante é dividido entre pecuária e reserva ambiental.

A fazenda fica no município de Campo Novo do Parecis e pertencia ao antigo "Rei da Soja", mas estava arrendada há alguns anos pela multinacional.

Dentro da propriedade, além de 11 pistas para pousos e decolagens, hangar e dezenas de silos, há uma vila que abriga centenas de funcionários da unidade.

Maggi afirma que a intenção é emancipar o local e transformá-lo em mais um município. Em 2017, a Fundação André e Lúcia Maggi (FALM) - que cuida do capital social da empresa - entregou ao governo do Estado a Escola Estadual Argeu Augusto de Moraes, com mais de 1.400 m² e dez salas de aula.

Ao que tudo indica, a previsão de que Maggi teria dificuldade nos negócios está longe de ser concretizada.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247