Maia diz que eventual denúncia contra Temer não paralisará a Câmara

Presidente da República interino, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que uma nova denúncia contra Michel Temer oferecida pela PGR "certamente" não paralisará os trabalhos da Câmara; "Enquanto estiver na Comissão (Comissão de Constituição e Justiça [CCJ]), certamente o plenário vai continuar trabalhando e tentando pautar matérias que são relevantes para o Brasil", disse; "Não é fácil, mas vamos continuar trabalhando", completou; procurador-geral da República, Rodrigo Janot, poderá apresentar uma nova denúncia contra Temer até o próximo dia 17, quando termina seu mandato à frente da PGR

Presidente da República interino, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que uma nova denúncia contra Michel Temer oferecida pela PGR "certamente" não paralisará os trabalhos da Câmara; "Enquanto estiver na Comissão (Comissão de Constituição e Justiça [CCJ]), certamente o plenário vai continuar trabalhando e tentando pautar matérias que são relevantes para o Brasil", disse; "Não é fácil, mas vamos continuar trabalhando", completou; procurador-geral da República, Rodrigo Janot, poderá apresentar uma nova denúncia contra Temer até o próximo dia 17, quando termina seu mandato à frente da PGR
Presidente da República interino, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que uma nova denúncia contra Michel Temer oferecida pela PGR "certamente" não paralisará os trabalhos da Câmara; "Enquanto estiver na Comissão (Comissão de Constituição e Justiça [CCJ]), certamente o plenário vai continuar trabalhando e tentando pautar matérias que são relevantes para o Brasil", disse; "Não é fácil, mas vamos continuar trabalhando", completou; procurador-geral da República, Rodrigo Janot, poderá apresentar uma nova denúncia contra Temer até o próximo dia 17, quando termina seu mandato à frente da PGR (Foto: Paulo Emílio)

247 - O presidente da República interino, Rodrigo Maia ((DEM-RJ), disse que uma nova denúncia contra Michel Temer oferecida pela Procuradoria Geral da República (PGR) "certamente" não irá paralisar os trabalhos da Câmara.

"Enquanto estiver na Comissão (Comissão de Constituição e Justiça [CCJ]), certamente o plenário vai continuar trabalhando e tentando pautar matérias que são relevantes para o Brasil. É o que a gente tem tentado fazer. A gente deve terminar de votar a reforma política, pelo menos naquilo que tem consenso. Não é fácil, mas vamos continuar trabalhando", disse

Maia, que é o primeiro na linha de sucessão presidencial, evitou comentar se a Câmara deverão ou não aceitar um possível novo processo contra Temer. A Câmara barrou a continuidade do primeiro processo por corrupção passiva feito pela PGR contra o peemedebista. "Não posso falar sobre isso", enfatizou.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, poderá apresentar uma nova denúncia contra Temer até o próximo dia 17, quando termina seu mandato à frente da PGR.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247