Maia: saída de Levy e de diretor do BNDES é ‘covardia sem precedentes’

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a saída de Joaquim Levy da presidência do BNDES e do advogado Marcos Barbosa Pinto da diretoria de Mercado de Capitais do banco é "uma covardia sem precedentes"; "Está errado [sair assim], não pode tratar as pessoas deste jeito"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou na manhã desta segunda-feira (17) que a saída de Joaquim Levy da presidência do BNDES e do advogado Marcos Barbosa Pinto da diretoria de Mercado de Capitais do banco é "uma covardia sem precedentes".

Levy pediu demissão neste domingo (16), um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter dito em coletiva de imprensa que ele estava com a "cabeça a prêmio". Bolsonaro cobrava de Levy a demissão de Marcos Pinto, que renunciou no sábado após a fala do presidente.

"Uma pena o Brasil ter perdido dois nomes como os do advogado e do Levy. Acho uma covardia sem precedentes", disse Maia em evento promovido pela BandNews. "Levy veio de Washington [onde ocupava cargo de diretor do Banco Mundial] para trabalhar no governo. Está errado [sair assim], não pode tratar as pessoas deste jeito. Se é para demitir, chama e demite. Ninguém é obrigado a ficar com um servidor de confiança se deixou de ser de confiança. Agora, tratar da qualidade dos dois desta forma, eu achei muito ruim", acrescentou.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247