Maioria dos brasileiros acha que país está no rumo errado

Segundo pesquisa do instituto Ipsos, 58% acham que o Brasil está no caminho errado, enquanto 42% que acham o país está no rumo certo; mudança na opinião da população se deu após as manifestações de rua que ocorreram em junho; de um mês para o outro, um em cada cinco brasileiros mudou de opinião; pela primeira vez desde 2007, mais gente passou a achar que o país marcha para o lado errado

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pela primeira vez em seis anos, a maioria dos brasileiros considera que o Brasil está no rumo errado. Atualmente, 58% fazem essa avaliação. Os demais 42% acham o país está no caminho certo. Os dados são do Instituto Ipsos. A mudança na opinião da população se deu após as manifestações de rua que ocorreram em junho.

De um mês para o outro, um em cada cinco brasileiros mudou de opinião. Em maio, 63% diziam que o Brasil estava no rumo certo, e 37%, que estava errado. Um mês e 500 protestos depois, as taxas quase se inverteram: 43% a 57%. Pela primeira vez desde 2007, mais gente passou a achar que o país marcha para o lado errado.

Em julho, segundo o Ipsos, a tendência se manteve, com pequena oscilação: 42% acham que o Brasil está na direção correta, e 58%, que o país precisa mudar de rumo. Não há diferenças significativas entre classes: na "C", 41% dizem que o rumo do país está correto, contra 43% da A/B e 46% da D/E.

De abril de 2005 até o final de 2006, mais brasileiros achavam que o país estava no rumo errado do que no certo. No auge dessa onda de pessimismo, em outubro de 2005, quando  mensalão estava em seu auge, 71% apostavam que Lula conduzia o Brasil pela contramão. Essa taxa passou a cair mês a mês e, um ano depois, o ex-presidente acabou reeleito.

A pesquisa foi feita com mil entrevistas face a face, no domicílio do entrevistado, em 70 cidades do país. A margem de erro é de 3 pontos porcentuais, para mais ou para menos. O Ipsos é um dos cinco maiores institutos de pesquisa do mundo.  

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email