Mais de 50 cidades no mundo já têm protestos contra Bolsonaro

 Quase 60 cidades do mundo já têm protestos marcados contra o candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro; há manifestações previstas para acontecerem em países como Israel, Itália, Uruguai, Estados Unidos, Espanha, Portugal, Suíça, África do Sul, Nova Zelândia e Japão, além de outras localidades

Mais de 50 cidades no mundo já têm protestos contra Bolsonaro
Mais de 50 cidades no mundo já têm protestos contra Bolsonaro (Foto: Valter Campanato - ABR)

247 - Quase 60 cidades do mundo já têm protestos marcados contra o candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro. Há manifestações previstas para acontecerem em países como Israel, Itália, Uruguai, Estados Unidos, Espanha, Portugal, Suíça, África do Sul, Nova Zelândia e Japão, além de outras localidades.

Bolsonaro vem sendo cada vez mais repudiado por causa de suas posições extremistas. No próximo da 29 ocorre na cidade de São Paulo um protesto marcado pelo grupo do Facebook "Mulheres Unidas Contra Bolsonaro'. A mobilização ocorre no Largo da Batata, no bairro de Pinheiros, zona oeste da cidade de São Paulo. Também há protestos marcados em outros municípios, como Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS).

Em uma declaração polêmica, o vice de Bolsonaro, o general Hamilton Mourão (PRTB), afirmar que o narcotráfico recruta jovens de famílias pobres "sem avô e pai, mas com avó e mãe". "A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó. Por isso, é uma fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narco-quadrilhas", disse Mourão.

O presidenciável do PSL também já proferiu declarações misóginas, como "eu tenho 5 filhos. Foram 4 homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher". A declaração foi concedida em palestra na Hebraica, no Rio de Janeiro, em abril do ano passado.

Em 2014, o parlamentar disse que não estupraria a colega Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merecia. "Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece", afirmou o congressista, após a parlamentar defender vítimas da Ditadura Militar (1964-1985).

Dentre suas posições polêmicas, Bolsonaro também já exaltou, por exemplo, Carlos Brilhante Ustra, ex-chefe do Doi-Codi de São Paulo e torturador na ditadura. Bolsonaro também defende abertamente a pena de morte, manifestou posição contra direitos humanos nos presídios, e é a favor do porte de armas para a população.

Confira neste link a lista de cidades com protestos marcados até momento

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247