Marco Feliciano se rebela contra decisão do STF e diz que vai denunciar Brasil em comissão internacional

O deputado evangélico diz que decisão do STF de manter templos religiosos fechados para impedir aglomerações é ilegítima e representa uma "´perseguição a evangélicos"

Deputado pastor Marco Feliciano
Deputado pastor Marco Feliciano (Foto: Agência Câmara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado Pastor Marco Feliciano (Republicanos-SP) considera "ilegítima" a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que permite que estados e municípios proíbam realização de celebrações religiosas presenciais e afirma que vai denunciar o Brasil à Comissão Interamericana de Direitos Humanos por "perseguição religiosa aos evangélicos.
"Os evangélicos brasileiros estão sofrendo perseguição religiosa por parte de autoridades que fazem oposição ao governo federal", afirma Feliciano. A informação é da jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.

Feliciano se rebela contra uma decisão do Supremo que é justificada como prevenção à propagação da Covid-19.

"Na condição de ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, denunciarei o Brasil na Comissão Interamericana de Direitos Humanos".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email