Marqueteiro compara desmonte de Temer ao Plano Marshall

Com a ingrata tarefa de recauchutar a imagem de Michel Temer, aprovado por apenas 3% dos brasileiros, o marqueteiro do Planalto, Elsinho Mouco, resolveu criar uma espécie de “Plano Temer” —uma compilação das ações do governo—, em alusão ao Plano Marshall, criado no pós-Segunda Guerra Mundial para reconstruir os principais países capitalistas afetados pela guerra; mas, enquanto o plano Marshall ajudou a reconstruir a Europa, as ações de Temer só prejudicaram o Brasil e os direitos dos cidadãos

Com a ingrata tarefa de recauchutar a imagem de Michel Temer, aprovado por apenas 3% dos brasileiros, o marqueteiro do Planalto, Elsinho Mouco, resolveu criar uma espécie de “Plano Temer” —uma compilação das ações do governo—, em alusão ao Plano Marshall, criado no pós-Segunda Guerra Mundial para reconstruir os principais países capitalistas afetados pela guerra; mas, enquanto o plano Marshall ajudou a reconstruir a Europa, as ações de Temer só prejudicaram o Brasil e os direitos dos cidadãos
Com a ingrata tarefa de recauchutar a imagem de Michel Temer, aprovado por apenas 3% dos brasileiros, o marqueteiro do Planalto, Elsinho Mouco, resolveu criar uma espécie de “Plano Temer” —uma compilação das ações do governo—, em alusão ao Plano Marshall, criado no pós-Segunda Guerra Mundial para reconstruir os principais países capitalistas afetados pela guerra; mas, enquanto o plano Marshall ajudou a reconstruir a Europa, as ações de Temer só prejudicaram o Brasil e os direitos dos cidadãos (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Com a expectativa de superar a votação da denúncia da Procuradoria-Geral da República ainda em outubro, a equipe de comunicação de Michel Temer vai tentar, a partir de novembro, “repaginar” a imagem do peemedebista, recordista de rejeição.

A “narrativa” passaria de um presidente “reformista” para o “transformador”. A comunicação do governo deve buscar “traduzir” as ações de Temer para a sociedade, na tentativa de melhorar os índices de popularidade do governo, hoje nos 3%, o menor índice desde a ditadura militar.

Uma das ideias é criar uma espécie de “Plano Temer”, uma compilação de feitos do governo na área econômica e a promoção de medidas que virão no próximo ano. Se for mesmo aprovada, a reforma da Previdência seria um dos fios condutores do plano, que ainda está em fase de elaboração. Ontem no Rio, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a reforma será “menor do que o governo imaginava”.

O marqueteiro do peemedebista, Elsinho Mouco, tenta construir um discurso de que a guinada de Temer seria comparável à criação do Plano Real, lançado em 1994, e ao Plano Marshall — plano econômico criado no pós-Segunda Guerra Mundial para reconstruir os principais países capitalistas afetados pela guerra.

— Vamos construir um compilado de ações do governo, que eu, por enquanto, batizei de Plano Temer. A ideia é ter o tamanho de um Plano Real, ser um Plano Marshall moderno — disse o marqueteiro.

As informações são de reportagem de Letícia Fernandes e Eduardo Barreto em O Globo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247