Meirelles já fala como candidato e diz que reformas ajudarão nas urnas

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ainda não assumiu publicamente, mas sua mais recente entrevista indica que ele tem intenção de concorrer ao Planalto em 2018; com discurso típico de candidato, Meirelles afirmou que um candidato a presidente com uma plataforma reformista, que prometa manter o esforço do atual governo para controlar despesas e arrumar as contas públicas, terá boas chances nas próximas eleições; "Se me perguntar quem vai ganhar, acredito que uma mensagem reformista deve ganhar", diz ele, que é o rosto das reformas de Michel Temer, assim como de seu fracasso econômico; na semana passada, ao anunciar o aumento das projeções para o rombo nas contas públicas, a Fazenda rebaixou de 2,5% para 2% a previsão de crescimento no próximo ano; previsão deste ano é 0,5%

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante coletiva de imprensa em Brasília 15/08/2017 REUTERS/Adriano Machado
Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante coletiva de imprensa em Brasília 15/08/2017 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, um candidato a presidente com uma plataforma reformista, que prometa manter o esforço do atual governo para controlar despesas e arrumar as contas públicas, terá boas chances nas próximas eleições.

"Se me perguntar quem vai ganhar, acredito que uma mensagem reformista deve ganhar", disse nesta segunda (21), em entrevista. "A posição populista já foi suficientemente testada e deu resultado negativo. A população está alerta para isso."

Filiado ao PSD, um dos partidos que dão sustentação a Michel Temer no Congresso, Meirelles tem sido apontado como opção do bloco governista para as eleições presidenciais de 2018, mas desconversa quando indagado sobre o tema.

"Estou concentrado no meu trabalho, que é fazer as reformas e assegurar o crescimento do país nos próximos anos", disse. "Não estou preocupado com o [meu] futuro".

Na semana passada, ao anunciar o aumento das projeções para o rombo nas contas públicas neste e no próximo ano, a Fazenda rebaixou de 2,5% para 2% a previsão de crescimento no próximo ano. A previsão deste ano é 0,5%.

Na avaliação de Meirelles, um discurso a favor de reformas e austeridade terá boas chances nas eleições presidenciais se for associado à recuperação da economia, que parece estar saindo lentamente da recessão profunda em que afundou há três anos.

As informações são de reportagem de Ricardo Balthazar e Mariana Carneiro na Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247