Menicucci: 'é inadmissível que chefe do Exército incite agravamento da crise'

A ex-ministra de Políticas para as Mulheres Eleonora Menicucci condenou a declaração do comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, interpretada como uma ameaça das Forças Armadas ao STF, que nesa quarta-feira, 3, julga o habeas corpus preventivos do ex-presidente Lula; "É inadmissível que em 2018, o Comandante do Exército Brasileiro manifeste sobre a impunidade, incitando a um agravamento da crise política institucional", disse Menicucci em nota

A ex-ministra de Políticas para as Mulheres Eleonora Menicucci condenou a declaração do comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, interpretada como uma ameaça das Forças Armadas ao STF, que nesa quarta-feira, 3, julga o habeas corpus preventivos do ex-presidente Lula; "É inadmissível que em 2018, o Comandante do Exército Brasileiro manifeste sobre a impunidade, incitando a um agravamento da crise política institucional", disse Menicucci em nota
A ex-ministra de Políticas para as Mulheres Eleonora Menicucci condenou a declaração do comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, interpretada como uma ameaça das Forças Armadas ao STF, que nesa quarta-feira, 3, julga o habeas corpus preventivos do ex-presidente Lula; "É inadmissível que em 2018, o Comandante do Exército Brasileiro manifeste sobre a impunidade, incitando a um agravamento da crise política institucional", disse Menicucci em nota (Foto: Aquiles Lins)

247 - A ex-ministra de Políticas para as Mulheres Eleonora Menicucci condenou a declaração do comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, interpretada como uma ameaça das Forças Armadas ao STF, que nesa quarta-feira, 3, julga o habeas corpus preventivos do ex-presidente Lula. 

"É inadmissível que em 2018, o Comandante do Exército Brasileiro manifeste sobre a impunidade, incitando a um agravamento da crise política institucional", disse Menicucci em nota. 

"Na vigência de um golpe parlamentar que retirou a primeira mulher Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff depois de 2 anos os monstros fascistas se retiraram da jaula , disseminando o ódio, executando mulheres negras como Marielle Franco e Anderson, atirando nos ônibus da Caravana do Presidente Lula. Agora , colocam a espada no pescoço do STF para não concederem o HC ao Presidente Lula, desrespeitando assim a Constituição Brasileira", acrescenta. 

Leia abaixo a nota na íntegra:

"É inadmissível que em 2018, o Comandante do Exército Brasileiro manifeste sobre a impunidade , incitando a um agravamento da crise política institucional.

Na vigência de um golpe parlamentar que retirou a primeira mulher Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff depois de 2 anos os monstros fascistas se retiraram da jaula , disseminando o ódio, executando mulheres negras como Marielle Franco e Anderson, atirando nos ônibus da Caravana do Presidente Lula.

Agora, colocam a espada no pescoço do STF para não concederem o HC ao Presidente Lula, desrespeitando assim a Constituição Brasileira.
Pasmem, todas essas ameaças foram feitas pela Rede Globo no final do JN de ontem, dia 3/4.

O mesmo que ela fez em 1964.

Eu, como minha geração que lutamos contra a ditadura militar, fomos [email protected], [email protected] s, [email protected] s,[email protected] e [email protected], [email protected] com todas e todos democratas brasileir @ s não permitiremos mais 21 anos de ditadura.

Lula livre.

Direitos Humanos vive.

As mulheres estão na luta pela democracia e pelo direito de Lula ser candidato.

Eleonora Menicucci"

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247