Mercadante: STF consolidou o estado de exceção seletivo no Brasil

O ex-ministro Aloizio Mercadante afirmou nesta quarta-feira, 4, que o julgamento do Supremo Tribunal Federal, que já tem cinco votos contra o habeas corpus preventivo do ex-presidente Lula, se consolida o "estado de exceção seletivo" no Brasil; "As ameaças dos Generais, a Globo e todo o oligopólio da mídia golpista, a pressão fascista crescente, a omissão dos oportunistas, os interesses do golpe e a ameaça política de terem que enfrentar em uma campanha eleitoral o presidente mais popular da história do Brasil conduziram a esta barbara arbitrariedade", disse Mercante ao 247

Brasília - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante solenidade de comemoração dos 20 anos do Conselho Nacional de Educação (CNE) (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante solenidade de comemoração dos 20 anos do Conselho Nacional de Educação (CNE) (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)

247 - O ex-ministro da Educação e da Casa Civil Aloizio Mercadante afirmou nesta quarta-feira, 4, que o julgamento do Supremo Tribunal Federal, que já tem cinco votos contra o habeas corpus preventivo do ex-presidente Lula, se consolida o "estado de exceção seletivo" no Brasil.

"As ameaças dos Generais, a Globo e todo o oligopólio da mídia golpista, a pressão fascista crescente, a omissão dos oportunistas, os interesses do golpe e a ameaça política de terem que enfrentar em uma campanha eleitoral o presidente mais popular da história do Brasil conduziram a esta barbara arbitrariedade", disse Mercante ao 247.

"Rasgaram a Constituição, renegaram a mais civilizatória das cláusulas pétreas que tratam dos direitos e garantias individuais e substituíram a presunção da inocência pela presunção da culpa. Com o julgamento de hoje, está consolidado o estado de exceção seletivo no Brasil", afirma. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247