Mercadante: tudo o que a história da civilização repudia Bolsonaro defende à luz do dia

Ex-ministro condena as declarações de Jair Bolsonaro contra a ex-presidente do Chile e Alta Comissária da ONU, Michelle Bachelet, sobre a morte de seu pai pela ditadura de Pinochet, além de outras defesas anteriores suas da prática da tortura. “Tudo aquilo que a história da civilização repudia que é a tortura, a barbárie, o assassinato político, o golpe de Estado, a ditadura, censura, a repressão, ele representa e defende à luz do dia”, disse à TV 247. Assista

247 - O ex-ministro Aloizio Mercadante falou à TV 247 sobre o recente ataque de Jair Bolsonaro à ex-presidente do Chile e Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet. Após Bachelet ter feito críticas ao Brasil, Bolsonaro celebrou a morte do pai da ex-presidente, assassinado e torturado pela violenta ditadura de Augusto Pinochet.

Mercadante ressaltou que este novo conflito gerado por Bolsonaro vem na esteira de outros dois criados por seu governo: a indicação de seu filho, Eduardo Bolsonaro, à embaixada norte-americana e as queimadas na Amazônia.  

“Ele cria duas crises internacionais gigantescas, a primeira é essa tentativa absurda, que 70% do povo brasileiro não aceita, de indicar o filho de 35 anos para ser embaixador. Vem a crise da Amazônia, que ele gerou essa situação, foi destruindo os mecanismos de controle, foi retirando as multas do Ibama, foi dizendo que ia rever todas as reservas, foi estimulando os madeireiros, incentivando essa política de devastação e quando veio esse incêndio o mundo inteiro viu e gerou uma crise de proporções dramáticas”.

O ex-ministro saiu em defesa de Bachelet ao dizer que a ex-presidente chilena não mentiu em suas afirmações e frisou que a violência policial está aumentando no Brasil. “Agora ele ataca Michelle Bachelet, que eu conheço pessoalmente, é uma senhora de grande estatura política, foi presidente do Chile, reeleita, uma liderança internacional da Comissão de Direitos Humanos da ONU, que fez uma afirmação absolutamente procedente. O que ela disse? Que a violência policial está crescendo no Brasil. Os índices de violência policial estão crescendo, e não é só isso, a violência no cotidiano da população”.

Mercadante também lembrou que não é a primeira vez que Bolsonaro ataca a família de um morto pela ditadura. “Ele tinha tido a mesma atitude com o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz. O pai dele foi assassinado, morto pela ditadura e era um militante no movimento estudantil. ‘Se quiser eu conto como seu pai foi morto’, depois ele recuou. Agora ele ataca o pai da Bachelet nas mesmas condições, sempre defendendo a tortura, sempre defendendo o padrão Ustra, o padrão Pinochet, tudo aquilo que a história da civilização repudia que é a tortura, a barbárie, o assassinato político, o golpe de Estado, a ditadura, censura, a repressão, ele representa e defende à luz do dia”.

Aloizio Mercadante afirmou que as trapalhadas diplomáticas do governo trarão consequências políticas e econômicas ao país e disse não acreditar no avanço de processos contra Bolsonaro por quebra de decoro.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247