Mídia russa destaca neutralidade assumida pelo Brasil na guerra

"O Brasil se junta a países que até agora permaneceram neutros no conflito da Rússia com a Ucrânia, incluindo China, Índia, Paquistão e Israel", diz reportagem

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro e Vladimir Putin em Moscou
Jair Bolsonaro e Vladimir Putin em Moscou (Foto: Alan Santos/PR)


Do site RT – O Brasil se recusou a escolher um lado no atual conflito entre Rússia e Ucrânia, prometendo permanecer neutro enquanto EUA, UE, Reino Unido e aliados continuam a impor sanções abrangentes à Rússia, acusando-a de agressão “não provocada”.

Em entrevista coletiva no domingo, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro disse que o país “não tomará partido” e “continuará sendo neutro” enquanto ajuda “no que for possível”.

Chamando a Rússia e a Ucrânia de “nações praticamente irmãs”, Bolsonaro observou que “uma grande parte da população da Ucrânia fala russo”. O presidente se recusou a dar uma opinião pessoal sobre o conflito até que um relatório final seja feito ou a situação seja resolvida.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro também rejeitou sugestões de que a Rússia realizaria um derramamento de sangue maciço na Ucrânia, argumentando: “Um chefe de estado como o da Rússia não quer realizar um massacre, em qualquer lugar”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Falando sobre o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, que era um dos comediantes mais populares da Ucrânia antes de sua incursão na política, Bolsonaro disse que os ucranianos “colocaram a esperança de sua nação nas mãos de um comediante”.

O Brasil se junta a vários países que até agora permaneceram neutros no conflito da Rússia com a Ucrânia, incluindo China, Índia, Paquistão e Israel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro se encontrou com o presidente russo, Vladimir Putin, em Moscou este mês. Foi noticiado na época que os Estados Unidos tentaram pressionar o líder brasileiro a cancelar a reunião.

“Brasil é Brasil, Rússia é Rússia. Eu me dou bem com todos. Assim que [o presidente dos EUA] Joe Biden me convidar, se ele me convidar, terei o prazer de visitar os Estados Unidos”, disse Bolsonaro na época.

Ao contrário da China e da Índia, que se abstiveram de votar uma resolução do Conselho de Segurança da ONU condenando a Rússia pela Ucrânia, o Brasil acabou votando a favor do documento. Há relatos na mídia local de que o Brasil tentou “suavizar” a redação da resolução, mas não conseguiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Ucrânia teria concordado no domingo em manter negociações de cessar-fogo com a Rússia na Bielorrússia, que devem começar na segunda-feira.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email