Militares do governo indicam que vão aceitar resultado das urnas se Lula vencer eleição em 2022

Internamente, auxiliares de Bolsonaro admitem que o período da ditadura militar acarretou muitos prejuízos à caserna

Forças Armadas e o ministério da Defesa
Forças Armadas e o ministério da Defesa (Foto: Abr)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Ao falar sobre a hipótese de uma ruptura institucional, auxiliares de Bolsonaro rememoram a ditadura militar e falam que o período trouxe "muitos prejuízos" à caserna.

Questionados se haveria resistência dos mais de 6 mil militares empregados no governo em aceitar uma vitória petista, ministros da ala militar garantem que esse grupo também respeitará os resultados das urnas, informa a jornalista Bela Megale no Globo.

Ministros da ala militar de Bolsonaro se dizem confiantes na vitória do capitão reformado em 2022, mas confessam que, para que a reeleição se concretize, a economia precisa melhorar.

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email