Ministério dos Direitos Humanos zerou gastos com políticas LGBT em 2022

Pasta havia reservado R$ 500 mil para políticas para a população LGBT por meio de uma emenda parlamentar da deputada Fernanda Melchionna. O recurso, contudo, foi ignorado

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters)


247 - O Ministério dos Direitos Humanos não utilizou um real na implementação de políticas públicas voltadas para o segmento LGBT ao longo do exercício de 2022. “A única despesa reservada no orçamento com esse destino seria de uma emenda parlamentar, mas a pasta não usou o dinheiro”, diz a coluna do jornalista Guilherme Amado, do Metrópoles. 

Segundo a reportagem, a pasta havia reservado recursos, da ordem de R$ 500 mil, em políticas para a população LGBT por meio de uma emenda parlamentar da deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS). O dinheiro, que seria destinado para políticas de assistência social para pessoas LGBTs e pessoas em tratamento contra a Aids, porém, foi ignorado. 

“A execução de dinheiro público na Secretaria de Igualdade Racial efetivamente aconteceu, mas foi baixa: R$ 348 mil gastos dos R$ 1,6 milhão previsto, apenas 22%. Até despesas do próprio ministérios não tiveram qualquer gasto, a exemplo dos R$ 304,2 mil planejados para a Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão (Fapex) que geraria emprego para mulheres negras e quilombolas”, acrescenta o colunista. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247