CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Ministério Público denuncia quatro por morte de Grazielly

Entre os acusados pela morte da menina atingida por moto aqutica esto Jos Augusto Cardoso (padrinho do adolescente e dono do jet ski)eo caseiro Erivaldo Francisco (que levou o equipamento para o mar)

Ministério Público denuncia quatro por morte de Grazielly (Foto: Divulgação)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Fernando Porfírio _247 - O Ministério Público paulista ofereceu à Justiça, nesta quinta-feira (12), denúncia contra quatro suspeitos de envolvimento na morte da menina Grazielly Lames, 3, atropelada por um jet ski no dia 18 de fevereiro em Bertioga (litoral sul de São Paulo). Eles são acusados de homicídio culposo (sem intenção de matar).

Os acusados são: José Augusto Cardoso (padrinho do adolescente e dono do jet ski), o caseiro Erivaldo Francisco (que levou o equipamento para o mar) e os mecânicos Thiago Veloso Lins e Aílton Bispo de Oliveira (porque teriam sido imprudentes ao deixar uma peça do equipamento enferrujar).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Os quatro ainda foram denunciados por lesão corporal culposa, pelos ferimentos causados em Andreia dos Santos Silva. No caso do caseiro e do padrinho do adolescente que dirigia o veículo, a Promotoria pediu o aumento de pena em um terço por eles não terem procurado diminuir a consequência de seus atos e não prestar auxílio às vítimas.

Também foi pedido o aumento de pena no caso dos mecânicos, que fizeram a lubrificação do jet ski dias antes do acidente, atestando que o equipamento estava em perfeito estado de funcionamento e poderia ser utilizado. A pena para homicídio culposo varia de um a três anos de detenção e a pena para lesão corporal culposa, de dois meses a um ano de detenção.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O adolescente que dirigia o jet ski vai responder por ato infracional. O juiz da Infância e Juventude vai determinar se ele deve cumprir medida socioeducativa.

O acidente aconteceu no sábado de Carnaval. Uma testemunha-chave disse que o menino acelerou o jet ski de forma "repentina, violenta e total". O veículo teria empinado, quicado na água e seguido em alta velocidade até atingir a criança. A lei proíbe menores de 18 anos de dirigir jet ski.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O caso foi transferido da Delegacia de Bertioga para a Seccional no início de março “devido à sua complexidade e repercussão”, segundo a polícia. À época, no entanto, informações da TV Globo apontavam que o inquérito tinha sido concluído e que ninguém tinha sido indiciado.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO