Ministra Cármen Lúcia sinaliza que vai se afastar do grupo pró-Lava Jato no STF

Ao renunciar a uma comissão do STF, a ministra do Cármen Lúcia sinaliza afastamento do grupo pró-Lava Jato na Corte Suprema

Ministra Cármen Lúcia
Ministra Cármen Lúcia (Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ministra Cármen Lúcia renunciou a uma comissão para a qual foi nomeada pelo ministro do STF, Luiz Fux, para presidir o colegiado que estuda mudanças no regimento da Corte

Cármen Lúcia integraria a comissão ao lado dos ministros Luís Roberto Barroso e Edson Fachin. Ela será agora substituída por Alexandre de Moraes.

O gesto da ministra foi interpretado como sinal de afastamento dos ministros alinhados com o lavajatismo, que defende uma aplicação mais dura de penas na esfera criminal, informa a jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.

O grupo tem como um dos seus principais expoentes o presidente do STF, Luiz Fux.

Cármen Lúcia deu um voto surpreendente esta semana a favor de Lula em reclamação em que ele pedia autorização para acessar o conteúdo de mensagens de Sergio Moro com procuradores da Lava Jato.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email