Exército classifica como fake news notícia de que “quem ganhar, leva”

"Os dados apresentados na matéria são inverídicos e tendenciosos", afirmou o Exército, supervisionado pelo Ministério da Defesa

www.brasil247.com - Ministro Paulo Sérgio Nogueira (Defesa)
Ministro Paulo Sérgio Nogueira (Defesa) (Foto: Divulgação 14ª Brigada de Infantaria Motorizada | Marcos Corrêa/PR)


247 - O Exército, supervisionado pelo Ministério da Defesa, afirmou não ser verdadeira a informação de que militares resolveram se afastar de uma possível tentativa de golpe nesta eleição presidencial. "Os dados apresentados na matéria são inverídicos e tendenciosos", afirmou.

Sem provas, Jair Bolsonaro (PL) acusou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de não ter segurança contra fraudes em urnas eletrônicas e defendeu a participação de militares na apuração do resultado da eleição. Partidos oposicionistas denunciaram possível tentativa de golpe.

Veja a íntegra da nota divulgada pelo Exército:

Sobre a matéria veiculada pelo jornalista Felipe Frazão, na data de hoje, e publicada no sítio eletrônico do jornal o Estado de São Paulo, intitulada - Alto-Comando do Exército diz que "quem ganhar leva" a Presidência e se afasta da auditoria de votos, o Comando do Exército manifesta total repúdio ao seu conteúdo.

Na reunião do Alto-Comando do Exército (ACE), ocorrida entre 1º e 5 de agosto, não foram tratados assuntos de natureza político-partidária, tampouco houve qualquer manifestação de oficial do ACE nesse sentido.

Os dados apresentados na matéria são inverídicos e tendenciosos.

É lamentável que um veículo de expressão nacional promova desinformação que só contribui para a instabilidade do País. Dessa forma, as medidas judiciais cabíveis estão sendo estudadas.

O Exército Brasileiro é uma instituição nacional, cônscio de suas missões constitucionais e democráticas, tendo na hierarquia e na disciplina seus pilares inabaláveis.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247