Ministro do Trabalho terá de depor à PF

Manoel Dias foi acusado pela empresária Ana Cristina Aquino, em entrevista à revista Istoé, de participação em esquema de pagamento de propina para criação de sindicatos, setor que movimenta R$ 2 bilhões por ano; John Sievers Dias, ex-dirigente do diretório pedetista em Santa Catarina, também confirmou envolvimento do atual ministro

www.brasil247.com - Manoel Dias foi acusado pela empresária Ana Cristina Aquino, em entrevista à revista Istoé, de participação em esquema de pagamento de propina para criação de sindicatos, setor que movimenta R$ 2 bilhões por ano; John Sievers Dias, ex-dirigente do diretório pedetista em Santa Catarina, também confirmou envolvimento do atual ministro
Manoel Dias foi acusado pela empresária Ana Cristina Aquino, em entrevista à revista Istoé, de participação em esquema de pagamento de propina para criação de sindicatos, setor que movimenta R$ 2 bilhões por ano; John Sievers Dias, ex-dirigente do diretório pedetista em Santa Catarina, também confirmou envolvimento do atual ministro (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A Polícia Federal vai convocar o ministro do Trabalho, Manoel Dias, para depor em inquérito que investiga desvio de verbas do ministério para o PDT. 

Um esquema de corrupção para criação de sindicatos na pasta, que envolveu pagamento de propinas para o ex-ministro Carlos Lupi e para Manoel Dias, foi denunciado pela revista Istoé. A reportagem publica denúncia feita por uma empresária, Ana Cristina Aquino, que diz ter pago R$ 200 mil a Lupi. 

Ana Cristina é dona de duas transportadoras, a AG Log e a AGX Log Transportes, e durante três anos fez parte da máfia que agora denuncia. A Polícia Federal em Minas Gerais já tem indícios de que suas empresas serviam como passagem para o dinheiro usado no pagamento das propinas para a criação de sindicatos (leia mais). 

John Sievers Dias, ex-dirigente do diretório pedetista em Santa Catarina, também confirmou que Manoel Dias montou um esquema para que funcionários do partido recebessem, sem trabalhar, salários de uma entidade que mantinha convênios com a pasta.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email