MNU e Educafro pedem direito de fala na ação 'trainee para negros do Magalu'

“Estamos reagindo a mais uma ação orquestrada para barrar as ações afirmativas que visam corrigir desigualdades raciais", afirma Iêda Leal, Coordenadora Nacional do Movimento Negro Unificado (MNU)

Magazine Luiza
Magazine Luiza (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Para defender o programa de trainee exclusivamente para negros do Magazine Luiza, o Movimento Negro Unificado (MNU) e a Educafro pediram para serem ouvidos na ação civil pública movida pelo Defensor Público Federal Jovino Bento Júnior contra a ação afirmativa da empresa.

Atendendo ao pedido, a Defensoria Pública da União (DPU) protocolou nesta quinta-feira (8/10), na 15ª Vara do Trabalho de Brasília/DF, petição requerendo admissão das entidades na qualidade de amicus curiae (amigo da corte). O objetivo é garantir a necessária e relevante participação da sociedade civil no processo, a fim de contribuir para uma tomada de decisão judicial justa e que de fato se articule com a redução das desigualdades sociais.

A intervenção do MNU e da Educafro na ação visa salientar, a partir de breves apontamentos sobre a desigualdade racial no Brasil e sobre a constitucionalidade, convencionalidade e legalidade das ações afirmativas, que “com o objetivo de diminuir a desigualdade enfrentada pelos negros, em especial quanto o acesso ao mercado de trabalho e posições de maior nível hierárquico, que a empresa ré lançou o programa de trainee exclusivamente para negros. Atitude essa que não merece reparos”, conforme consta no documento.

“Estamos reagindo à mais uma ação orquestrada para barrar as ações afirmativas que visam corrigir desigualdades raciais. Mesmo com um quadro comprovado por estatísticas oficiais, que dão conta da exclusão e da marginalização à qual o povo negro (56% da população brasileira) está submetido, ainda assim querem impedir programas como este do Magazine Luiza. Racismo explícito que não aceitaremos”, reforça Iêda Leal, Coordenadora Nacional do MNU.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247