Monja Cohen diz que Lula tem 'dignidade': 'Quem foi rei não perde a majestade'

Líder budista conta que quando visitou o ex-presidente na prisão, recebeu críticas e elogios na internet, mas que não se arrepende. "Fiquei tão feliz. Que homem maravilhoso (...). Você entra lá pensando que vai ensinar meditação para Lula se acalmar e era ele quem acalmava todos. É um líder"

Monja Cohen visita o ex-presidente Lula
Monja Cohen visita o ex-presidente Lula (Foto: Cláudio Kbene)

247 - Referência no budismo, escritora e hoje também Youtuber, Monja Cohen - cujo nome de nascimento é Cláudia Dias Baptista de Souza - relatou em entrevista a Sonia Racy, do Estado de S.Paulo, a visita que fez ao ex-presidente Lula no ano passado na prisão em Curitiba e diz ter recebido críticas e apoio pela iniciativa, mas que não se arrepende.

"Quando fui visitar o Lula (na prisão em Curitiba), teve um grupo na internet que ficou muito bravo comigo. Mas teve outro que me defendeu. E eu só soube disso. Teve uma pessoa que me escreveu e-mail e disse que eu não devia ter ido e que ia parar de ir ao templo", conta.

Questionada se achava que não deveria ter feito a visita, respondeu: "Claro que eu devia. Fiquei tão feliz. Que homem maravilhoso. Nunca tinha falado com ele. Foi no ano passado. Todas as segundas tinha um líder religioso que ia lá conversar com o Lula. Era uma maneira de entretê-lo também. Ele estava lindo. Você entra lá pensando que vai ensinar meditação para Lula se acalmar e era ele quem acalmava todos. É um líder. Quem foi rei não perde a majestade. Ele tem dignidade", disse.

Monja Cohen está prestes a lançar o livro O Que Eu Aprendi com o Silêncio – uma Autobiografia.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247