Moraes trava no STF ação em que é responsabilizado por repressão contra estudantes

O ministro do STF Alexandre de Moraes travou uma ação em que ele é acusando de responsabilidade pela violenta repressão policial contra estudantes que ocuparam escolas públicas de São Paulo em 2016; à época, Moraes era secretário da Segurança Pública do então governo do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB)

Moraes trava no STF ação em que é responsabilizado por repressão contra estudantes
Moraes trava no STF ação em que é responsabilizado por repressão contra estudantes (Foto: Marcelo Camargo - Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes travou uma ação em que ele é acusando de responsabilidade pela violenta repressão policial contra estudantes que ocuparam escolas públicas de São Paulo em 2016. À época, Moraes era secretário da Segurança Pública do governo Geraldo Alckmin (PSDB).

De acordo com reportagem de William Castanho, publicada no jornal Folha de S.Paulo, Moraes é relator do processo movido pelo PSOL e travou a ação na corte ao negar seu seguimento.

Em 2016, o então secretário de Alckmin liderou a iniciativa de retirar estudantes de escolas técnicas ocupadas com uso de força policial e sem a necessidade de mandado judicial.

Ao STF os advogados do PSOL, Ari Marcelo Solon, professor da USP, e André Maimoni, afirmaram que o ato contrariou os princípios da cidadania, liberdade de expressão e legalidade estrita, contidos na Constituição.

Em 2017, a então presidente da corte, Cármen Lúcia, negou o pedido do partido e disse que a atuação de Moraes "no governo de São Paulo em momento pretérito não configura situação a justificar, por si só, questionamentos quanto à independência do ministro".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247