Moro acusa Bolsonaro de não apoiar a luta contra a corrupção

O ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, diz que Bolsonaro, embora eleito com esta bandeira, não apoiou a "agenda anticorrupção"

Jair Bolsonaro e Sergio Moro
Jair Bolsonaro e Sergio Moro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro Sergio Moro afirmou neste domingo, em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, que o governo de Jair Bolsonaro não priorizou o combate à corrupção.

Moro também disse que as alianças de Bolsonaro são questionáveis e insinuou que Bolsonaro exigiu dele "não dizer a verdade". Segundo o ministro, que pediu demissão do governo há um mês acusando o presidente de querer interferir no comando da Polícia Federal, não é possível ser leal ao chefe do Executivo se for obrigado a não dizer a verdade, informa O Globo.

Moro repetiu que deixou o governo devido à tentativa de interferência de Bolsonaro na Polícia Federal: "Essa interferência na Polícia Federal ao meu ver ela vem num contínuo em que eu via essa agenda anticorrupção ser esvaziada"... "A gota d'água pra mim foi a interferência na Polícia Federal, em particular porque a PF também investiga mal feito dos próprios governantes". 

Sobre a reunião ministerial do dia 22 de abril, que, segundo o ex-ministro, comprova que Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal, Moro disse que as imagens comprovam o que disse no dia de sua demissão. Ao deixar o governo, o ex-juiz afirmou que Bolsonaro fazia tentativas seguidas para retirar o então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, sem apresentar qualquer motivo. 

Moro também criticou o tom da reunião, considerando que naquele ambiente é difícil realizar o contraditório. E voltou a criticar Bolsonaro por falta de espaço para o diálogo. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247