Moro: depoimento de Pessoa no TSE depende do STF

Juiz encaminhou um despacho ao TSE informando que o depoimento do empreiteiro da UTC, Ricardo Pessoa, na ação que investiga possíveis irregularidades na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff, depende do aval do STF; segundo Sérgio Moro, a autorização do Supremo é necessária "uma vez que os termos [da delação premiada] ainda podem estar sob sigilo e a divulgação de detalhes pode eventualmente atrapalhar as investigações"; Pessoa deverá prestar depoimento na sede do TRE-SP no próximo dia 14

Juiz encaminhou um despacho ao TSE informando que o depoimento do empreiteiro da UTC, Ricardo Pessoa, na ação que investiga possíveis irregularidades na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff, depende do aval do STF; segundo Sérgio Moro, a autorização do Supremo é necessária "uma vez que os termos [da delação premiada] ainda podem estar sob sigilo e a divulgação de detalhes pode eventualmente atrapalhar as investigações"; Pessoa deverá prestar depoimento na sede do TRE-SP no próximo dia 14
Juiz encaminhou um despacho ao TSE informando que o depoimento do empreiteiro da UTC, Ricardo Pessoa, na ação que investiga possíveis irregularidades na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff, depende do aval do STF; segundo Sérgio Moro, a autorização do Supremo é necessária "uma vez que os termos [da delação premiada] ainda podem estar sob sigilo e a divulgação de detalhes pode eventualmente atrapalhar as investigações"; Pessoa deverá prestar depoimento na sede do TRE-SP no próximo dia 14 (Foto: Paulo Emílio)

247 - O juiz federal Sérgio Moro encaminhou um despacho ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), informando que do depoimento do empreiteiro da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, na ação que investiga possíveis irregularidades na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff depende do aval do Supremo Tribunal Federal(STF). Segundo Moro, a autorização do STF é necessária "uma vez que os termos [da delação premiada] ainda podem estar sob sigilo e a divulgação de detalhes pode eventualmente atrapalhar as investigações", disse o juiz. Ricardo Pessoa, apontado como um dos chefes do cartel de empreiteiras responsável por desvios e corrupção em contratos da Petrobras, deverá prestar depoimento na sede do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo no próximo dia 14.

"Tendo em vista informação divulgada pela imprensa acerca de acordo de colaboração celebrado pelo acusado em questão com a Procuradoria-Geral da República e que teria sido homologado pelo Supremo Tribunal Federal, entende este Juízo que qualquer convocação de Ricardo Pessoa deve ser autorizada previamente pelo Supremo Tribunal Federal, uma vez que os termos ainda podem estar sob sigilo e a divulgação de detalhes pode eventualmente atrapalhar as investigações"", justificou Moro. "Obtida autorização do Supremo ou caso este a entenda desnecessária, este Juízo poderá autorizar o deslocamento", destacou. 

Em seu depoimento à Justiça Federal, Pessoa disse ter doado R$ 7,5 milhões à campanha pela reeleição da presidente Dilma por medo de que seus negócios com Petrobras fossem afetados. Os recursos foram doados legalmente. O empreiteiro, porém, disse ter doado outros R$ 15,7 milhões a ex-tesoureiros do PT e da campanha de Dilma de maneira irregular.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247