Moro e Huck negociam aliança para disputar Presidência em 2022

O ex-juiz e ex-ministro de Bolsonaro teve um encontro em Curitiba com o apresentador da Globo Luciano Huck. A dupla busca lançar uma chapa à Presidência em 2022 e se apresentar como "terceira via"

Moro e Huck
Moro e Huck (Foto: divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O apresentador da TV Globo Luciano Huck e o ex-ministro Sergio Moro iniciaram conversas para formar uma aliança na eleição presidencial de 2022.

Eles tiveram um longo encontro no apartamento de Moro, em Curitiba, no dia 30 de outubro, em que acertaram a intenção de se unir no que chamam de espécie de “terceira via” para disputar o Palácio do Planalto daqui a dois anos, informa a Folha de S.Paulo.

Como foi um início de discussão, ambos decidiram avaliar quem será o cabeça de chapa durante o ano de 2021. 

Huck e Moro já tinham se encontrado antes na edição de 2019 do Fórum Econômico Mundial, em Davos, quando Moro, então ministro da Justiça do governo de extrema direita de Jair Bolsonaro, acompanhava a participação do chefe. 

Ambos consideram que há espaço para a construção de uma candidatura em 2022 com a marca da “racionalidade”, que não esteja ligada nem à direita bolsonarista nem à esquerda.  

Sendo em essência de direita, Huck e Moro dizem que um dos objetivos mais imediatos é buscar construir uma frente incorporando líderes com perfil centrista.

De qualquer forma, Moro e Huck não definiram uma lista fechada de pessoas que querem atrair para o projeto, apenas o objetivo geral de agregar apoios. Ambos ficaram de voltar a conversar em breve sobre a ideia desta “terceira via”.

Moro e Huck precisariam se filiar a partidos políticos até abril de 2022, seis meses antes da eleição para viabilizar a chapa. O apresentador é próximo do Cidadania, ex-PPS, que já lhe ofereceu legenda no passado. Já Sergio Moro recebeu sondagens de diversas legendas de direita quando saiu do governo, como Podemos e Novo. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email